Clube do DF sonda Loco Abreu para Série D, mas regra da Fifa é obstáculo

Emanuel Colombari

Do UOL, em São Paulo

  • Divulgação/Puerto Montt

    Em 2017, uruguaio já assinou com Bangu, Central Español e Dep. Puerto Montt (foto)

    Em 2017, uruguaio já assinou com Bangu, Central Español e Dep. Puerto Montt (foto)

Aos 40 anos, Loco Abreu segue no radar de clubes brasileiros. E a bola da vez pode ser o futebol do Distrito Federal.

Classificado para a segunda fase da Série D do Campeonato Brasileiro, o Ceilândia está em busca de um reforço para o ataque. E o nome do uruguaio foi um dos cogitados para a vaga.

"Nós estamos atrás de um camisa 9 nato, um especialista. E uma pessoa ligada ao clube me apresentou quatro nomes, quatro possibilidades. Entre os quatros, apresentou o Abreu", disse Ari de Almeida, presidente do Ceilândia, em contato por telefone com o UOL Esporte.

Nos últimos anos, Loco Abreu tem se caracterizado pelos clubes nos quais tem atuado. Em 2017, já defendeu Bangu e Central Español (Uruguai). No fim de junho, foi apresentado pelo Deportes Puerto Montt, da segunda divisão chilena, pelo qual atuaria na temporada 2017/2018.

Tendo assinado por três clubes e jogado por dois no mesmo ano, Loco Abreu seria impedido pela Fifa de atuar em mais um time. No entanto, de acordo com o artigo 5, parágrafo 3 do Regulamento de Transferências da Fifa, o jogador poderia atuar caso atue em torneios com calendários diferentes e se tiver cumpridos os contratos na íntegra com os clubes anteriores.

"Jogadores podem ser registrados em no máximo três clubes durante uma temporada. Durante este período, o jogador só poderá atuar em partidas oficiais por dois clubes. Exceção feita a esta regra: caso um jogador se transfira entre dois clubes que pertençam a entidades com temporadas paralelas (ou seja, começo de temporada no segundo semestre em oposição ao primeiro semestre), pode estar apto a jogar partidas oficiais por um terceiro clube durante a temporada, desde que comprove ter cumprido integralmente seus compromissos com os clubes anteriores", diz o texto.

O próprio presidente do Ceilândia diz que um "problema com a transferência" neste caso "encerraria" qualquer negociação, sem a intenção de buscar uma liberação junto à Fifa. Ainda assim, o jogador está no radar para a reta final da Série D.

"Tem interesse do clube, mas o clube não fez contato, não tem o contato. Tudo ficou com essa pessoa (intermediária), que tem nosso respeito. É uma pessoa séria", diz Ari de Almeida. Procurada, a assessoria de imprensa do jogador no Brasil diz desconhecer o interesse de clubes do país na transferência.

Na segunda fase da Série D, o Ceilândia enfrenta o Comercial (MS). O jogo de ida acontece no domingo (9), em Campo Grande, enquanto a partida de volta está marcada para o dia 15, em Ceilândia.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos