Duelo entre Globo e Esporte Interativo ajuda a explicar racha na Liga do NE

Eduardo Ohata e Roberto Oliveira

Do UOL, em São Paulo e Recife

  • Williams Aguiar/Sport

    Dirigentes de Sport e Náutico explicaram ruptura com a Liga do Nordeste

    Dirigentes de Sport e Náutico explicaram ruptura com a Liga do Nordeste

Sport e Náutico saíram da Liga do Nordeste. Principal porta-voz da debandada pernambucana, o presidente do Leão da Ilha, Arnaldo Barros, afirmou que o clube está fora do Nordestão 2018. Mas por que o atual vice-campeão resolveu "esticar a corda" no cabo de guerra entre clubes, Liga e federações estaduais?

A primeira resposta reside nas finanças - e tem como pano de fundo uma disputa entre a Globo e o Esporte Interativo. Detentora dos direitos de transmissão da "Lampions League" até 2022, a emissora do grupo Turner foi um dos alvos da ruptura.

Nacionalmente, Sport e Náutico estão alinhados com a Globo. Já o Bahia, atual campeão e maior defensor da Liga do Nordeste no modelo atual, tem contrato com o Esporte Interativo para a transmissão do Brasileiro a partir do ano que vem. 

O dirigente do Sport deixou nítida sua insatisfação com o atual modelo de cotas. "A competição é deficitária para os clubes. Praticamente, pagamos para jogar. Não todos, mas os grandes pagam para jogar", afirmou Barros.

Neste ano, foi de R$ 600 mil a cota de participação na fase de grupos da Copa do Nordeste, organizada em parceria do Esporte Interativo, principal mantenedor do torneio, com a Liga do Nordeste.

 "Acreditamos que a cota inicial [R$ 600 mil] é muito baixa. Sabemos que a competição é rentável, mas o repasse feito aos clubes não é compatível com o que nós representamos. Para o Náutico, esse foi o principal peso", declarou Emerson Barbosa, diretor de futebol do Náutico, que não se classificou ao Nordestão 2018.

A cada fase superada, o montante aumenta. Neste ano, foram cerca de R$ 18 milhões em cotas no total. Vice-campeão, o Sport terminou a competição com pouco mais de R$ 2 milhões, valor inferior apenas ao campeão Bahia. Em 2018, o valor das cotas tende a aumentar.

Outro fator decisivo no racha de Sport e Náutico com a liga regional é o formato da Copa do Nordeste. Os clubes avaliam que após o crescimento da competição - no ano que vem serão 16 clubes na fase de grupos, mas com pré-Nordestão -, o calendário do primeiro semestre ficou apertado.

O Sport, por exemplo, já disputou 47 jogos entre cinco competições em 2017 - seis partidas a mais que o segundo que mais entrou em campo entre os clubes da Série A do Brasileirão. 

"Tivemos vários jogos, aqui em Pernambuco, com mil, 800 pagantes, o que nunca havia acontecido. Jogando quarta e domingo toda semana. Até podemos jogar quarta e domingo, mas tem de ser exceção. Esse não é o único, mas é um dos motivos para termos jogos com públicos tão baixo. Porque o excesso de jogos, muitos pouco atrativos, acaba fazendo o torcedor ter de escolher: ou vai para um jogo ou vai para outro", avaliou.

A ideia do mandatário do Sport, então, seria a criação de um novo modelo de torneio, com duas divisões e menos jogos - e partidas "mais atrativas". Aí poderia se firmar acordo com um novo parceiro comercial como a Globo, que perdeu para o Esporte Interativo os direitos de transmissão da Copa do Nordeste, mas admite o interesse no futebol da região

Ao UOL Esporte, a Globo disse ter "apreço e interesse por competições com times do Nordeste, mas que ainda não recebeu proposta de uma eventual nova competição". Já o Esporte Interativo afirmou que não há uma posição oficial sobre a debandada pernambucana.

Santa cogita ruptura; e dupla Ba-Vi permanece

Único do "trio de ferro" pernambucano que permanece por ora na Liga do Nordeste, o Santa Cruz convocará uma reunião do Conselho Deliberativo para se decidir, mas cogita acompanhar os conterrâneos.

"O Santa Cruz vai levar o tema ao Conselho Deliberativo. Entendemos que não devemos decidir isoladamente um assunto tão relevante para os destinos do clube. Será, então, convocada uma Assembleia Extraordinária para o assunto ser debatido", afirmou o presidente do Santa, Alírio Moraes, por mensagem ao UOL Esporte

Em nota oficial, o Santa Cruz também se manifestou sobre a fase preliminar da Copa do Nordeste a partir do ano que vem, o "pré-Nordestão". Como terminou na terceira colocação do Pernambucano, a equipe teria de jogar a seletiva para tentar uma vaga na Copa do Nordeste. O Santa Cruz entende que, com a desfiliação do Sport, a vaga seria automaticamente sua.

"Sobre o Pré-Nordestão, a conclusão é de que: caso fique definida a permanência do Santa, dentro da Liga, e considerando a anunciada desfiliação do Sport Club do Recife, conforme o regulamento, o Tricolor teria vaga direta na competição. Portanto, o Santa Cruz não reconhece o sorteio realizado, nesta segunda-feira, como algo definitivo."

Consultada pela reportagem, a assessoria de comunicação do Bahia confirmou que a posição do clube segue a mesma, já expressada anteriormente pelo presidente Marcelo Sant'Ana, pela permanência na Liga do Nordeste. Vale lembrar que o Tricolor vendeu para o Esporte Interativo seus direitos de transmissão da Série A de 2019 a 2024. Até o ano que vem, eles pertencem à Globo.

Segundo a assessoria de comunicação do presidente do Vitória, Ivã de Almeida, o Leão baiano também permanece na Liga do Nordeste. Embora compartilhe de algumas das críticas do Sport à entidade, em relação ao valor das cotas, por exemplo, o mandatário rubro-negro trabalhava nos bastidores para costurar um acordo entre as partes. Ele julgava precipitada a desfiliação da dupla pernambucana. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos