Maldição? Inter tenta de tudo, mas lateral direita ainda é interrogação

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

  • Ricardo Duarte/Internacional

    Como lateral direito, Fabinho marcou pelo Inter contra o Brasil de Pelotas

    Como lateral direito, Fabinho marcou pelo Inter contra o Brasil de Pelotas

Danilo Fernandes e... uma interrogação. Já foi William, Junio, Alemão, Fabinho, Edenílson, Ceará e Danilo Silva. Nenhum se firmou. Claudio Winck é o último a entrar no grupo dos que pretendem a vaga, mas ainda não foi testado. O Internacional tenta de tudo, mas parece conviver com uma 'maldição' na lateral direita.

Os sinais macabros que rondariam o segundo nome na escalação vermelha já apareciam no começo do ano. Um dos melhores jogadores da temporada passada, absolvido pela torcida mesmo com o rebaixamento para Série B, não queria mais jogar no clube. William foi afastado e passou por longo período fora do grupo. Voltou em fevereiro e foi o único a ser considerado titular da vaga neste ano.

Antevendo os problemas e irritada com a conduta dele, a direção tratou de agir. Alemão, respaldado por um bom Brasileiro do ano anterior pelo Botafogo, foi contratado. Chegou como 'substituto de William', mas pouco conseguiu mostrar. Sofreu uma série de lesões. A última no pé direito, que chegou a ser recuperada, mas as dores regressaram e ele não tem previsão de quando poderá atuar.

A bola da vez virou Ceará. O experiente jogador de 37 anos tinha jogado apenas os dois primeiros jogos do ano e foi elevado ao posto de titular diante do Paraná pela Série B. Foi mal.Estava visivelmente sem ritmo e acabou substituído com 45 minutos de jogo. Não gostou da forma que foi tratado, reclamou na zona mista do Beira-Rio e dois dias depois rescindiu seu contrato. A maldição seguia firme e forte.

Enquanto isso, jogadores de outras posições foram improvisados por ali. Danilo Silva entrou contra o Palmeiras e não foi bem. É zagueiro de origem. Fabinho e Edenílson, volantes, também estiveram no posto eventualmente. Todos oscilaram em algum momento. E o jovem Junio, que é originalmente lateral, recebeu algumas chances, mas a falta de experiência acabou sacando do time.

À espera de uma chance, Claudio Winck foi chamado do time Sub-23. É o único que ainda não esteve no time. E a direção, de olho em acabar com a o trauma que sustenta-se desde o princípio de 2017, avalia nomes no mercado para reforçar o elenco. A lateral é uma das três carências encontradas no elenco de jogadores. Só faltam boas opções que sejam acessíveis no apertado orçamento vermelho.

Diante do Criciúma, no próximo sábado, ao que tudo indica será Fabinho que ocupará a lateral. Isso se nada mudar até o dia do jogo. Uma nova chance de finalmente alguém ser considerado titular ali.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos