Fluminense completa dois meses de atraso dos direitos de imagem do grupo

Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • NELSON PEREZ/FLUMINENSE F.C.

    Presidente Pedro Abad tem convivido com dificuldades financeiras

    Presidente Pedro Abad tem convivido com dificuldades financeiras

O caos financeiro do Fluminense parece não ter fim. De acordo com o "Extra", o clube deve dois meses de direitos de imagem aos jogadores, além de premiações. A informação foi confirmada pelo UOL Esporte.

Essa não é a primeira vez que a gestão de Pedro Abad deixa de cumprir com os pagamentos nas datas previstas. Este ano, o elenco também já viveu a mesma realidade. A "tática" no clube é nunca deixar que os débito somem três meses, já que isso permitiria ações judiciais por parte dos jogadores.

Assim que assumiu a presidência, Pedro Abad explicou para o grupo que o Tricolor vive um momento delicado em suas finanças e pediu um voto de confiança. A forma como o assunto foi tratado gerou um voto de confiança, mas a repetição dos fatos já incomoda. Neste cenário, o técnico Abel Braga tem atuado como um bombeiro e tratado de esfriar os ânimos no vestiário.

Os débitos só pressionam o Fluminense a fazer caixa o quanto antes. Nenhum dirigente no clube esconde que há a necessidade de se desfazer de alguns valores. O lateral Léo e o atacante Marcos Calazans negociam suas transferências para o futebol italiano.

Procurada, a assessoria de imprensa do clube informou que "a expectativa é de resolver a situação o quanto antes".

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos