Dono do Leicester é acusado de fraude de R$ 1,3 bilhões na Tailândia

Do UOL, em São Paulo

  • Matt Dunham/AP

    Vichai Srivaddhanaprabha, dono do Leicester, durante entrega da taça do Inglês em 2016

    Vichai Srivaddhanaprabha, dono do Leicester, durante entrega da taça do Inglês em 2016

De acordo com reportagem do jornal inglês "The Guardian", o King Power, grupo comandado por Vichai Srivaddhanaprabha, presidente do Leicester City, é formalmente acusado de fraude na Tailândia. O dirigente terá de responder por ter supostamente dado um chapéu de 327 milhões de libras (pouco mais de R$ 1,3 bilhões) no governo local.

O autor do processo é Charnchai Issarasenarak, vice-presidente de um subcomitê anticorrupção da Tailândia. Srivaddhanaprabha é acusado de ter pago apenas uma fatia de 3% do lucro de uma franquia em aeroporto ao governo, que tem direito a 15% desde 2006.

"Pedimos para a corte aceitar esse processo como um processo criminal e usar a lei para punir aqueles que cometeram infrações. Esse caso causa danos substanciais ao estado e é um caso muito severo", afirmou Issarasenarak.

Mais duas empresas ligadas ao grupo King Power são acusadas de corrupção na Tailândia.

Aiyawatt Srivaddhanaprabha, vice-presidente do Leicester e diretor-executivo do grupo King Power, se negou a comentar o caso.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos