Técnico nega participação em suborno e justifica sumiço: "queriam escalar"

Marcello De Vico

Do UOL, em Santos (SP)

Acusado pelo diretor do Velo Clube de participar de um esquema de suborno de 30 mil reais para entregar uma partida do Campeonato Paulista sub-20, o técnico Robson do Santos conversou com o UOL Esporte nesta quarta-feira (12) e negou ter conhecimento de qualquer oferta em dinheiro. Ele ainda justificou o fato de ter abandonado o jogo – contra o Mogi Mirim, dia 5 de julho – alegando que o diretor, Eder Muller, queria escalar sua equipe.

O diretor do Velo Clube, Eder Muller, também falou com a reportagem e repassou o áudio (ouça no player acima ou leia a transcrição abaixo) no qual uma pessoa ainda não identificada oferece 30 mil reais para que o jogo em questão terminasse com o placar de 2 a 0 a favor do Mogi – que abriu 2 a 0 ainda na etapa inicial.

Em B.O. registrado pelo clube de Rio Claro, o diretor aponta comportamentos suspeitos do técnico Robson do Santos e de seu irmão, o auxiliar Gerffeson Rhauny dos Santos, como por exemplo escalar um time com alguns reservas e abandonar a partida ainda no intervalo.

Reprodução/Site oficial do Velo Clube
Nota publicada no site oficial do Velo Clube
"Ele sumiu no meio do jogo. No intervalo ele não desceu para falar com os meninos [jogadores]. Aí eles se ajeitaram, o preparador físico e de goleiro, colocaram alguns titulares. No 2 a 1 ele desapareceu. E deu 2 a 2 e o irmão também sumiu. Eles abandonaram até os documentos, já estão com a delegacia", conta Éder Muller ao UOL Esporte.

Robson do Santos, porém, defendeu-se de todas acusações feitas a ele e prometeu se apresentar à Polícia para prestar depoimento. "Eu não sabia de tudo isso que está acontecendo. Quem recebeu esse tipo de convite foi o Eder Muller. Eu pedi para ele procurar a Justiça e ele não foi. Mais tarde a gente vai saber quem tem razão e quem não tem", diz.

"Ele vai ter que provar o que ele disse e eu vou saber muito bem como provar porque eu tenho 25 anos de futebol e ele não tem nem cinco. Ainda não fui [convocado a depor], mas vou me apresentar espontaneamente, faço questão disso. Só não fui antes porque não sabia o que estava acontecendo", acrescenta o agora ex-técnico do Velo Clube.

Robson do Santos explica ainda o porquê de ter abandonado a partida antes do fim e acusa o diretor do Velo Clube de ter sido antiético.

"Eu abandonei porque ele queria escalar o time, e eu não aceitei essa situação. Os jogadores dele também começaram a fazer uma rebeldia por orientação dele. Ele foi muito antiético e eu saí. É só procurar as escalações e comparar. Estou tranquilo quanto a isso. Todos os atletas que estavam lá eram atletas dele. Tinham quatro ou cinco que estavam jogando", completa.

Os envolvidos no caso, como o auxiliar administrativo do Velo Clube, Kaique Fernando de Jesus Souza, responsável por fazer algumas substituições na equipe durante o intervalo, começarão a ser ouvidos pela polícia já a partir desta semana.

Leia a transcrição do áudio:

Eu queria ver com você, cara. Você vai jogar contra o Mogi Mirim, já até vi... De a fazer uma situação dessa. Eu te dar R$ 30 mil. Se você falar, 'não, vou falar só com os atletas', chamamos os atletas num canto, a gente reúne os atletas, conversa com eles como vai ser. O goleiro, dois zagueiros, dois volantes, um meia e um atacante, entendeu? Vamos dar para os caras dividirem. Cinco mil para eles dividir. O resto fica para o clube e para mim. Uma parte para mim, outra parte coloco no clube sem ninguém saber. Entendeu? Queria ver contigo. Quando voltar o campeonato e começar de novo, se a gente quiser fazer mais uns dois joguinhos, um joguinho só, a gente faz, e dinheiro sempre na mão. Acabou o jogo, o dinheiro está na mão.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos