Técnicos repensam a vida e até mudam a carreira após nascimento dos netos

Luiza Oliveira

Do UOL, em São Paulo

  • Hospital São Luiz/Divulgação

    Muricy Ramalho comemora o nascimento da sua neta, Maria Clara

    Muricy Ramalho comemora o nascimento da sua neta, Maria Clara

A rotina do técnico de futebol é dura. Mesmo os treinadores mais consagrados precisam lidar o tempo inteiro com a pressão de uma carreira instável em que a família muitas vezes acaba ficando em segundo plano. Mas a chegada de um bebê pode amolecer o coração até do comandante mais linha dura e transformar a vida. É o que alguns dos principais técnicos do futebol brasileiro estão vivendo ao se tornarem avôs pela primeira vez.

Muricy Ramalho acompanhou de perto o nascimento da pequena Maria Clara no início do mês passado. Não custou muito para que o estilo sério com direito ao bordão "Aqui é trabalho" caísse por terra. Nas redes sociais, o ex-treinador se derrete pela pequena no colo e se declarou como 'vovô coruja' em uma foto.

Reprodução/Instagran

Muricy diz que pretende ser um avô bem presente e lamenta o quanto o futebol o afastou dos filhos. "Realmente é uma sensação fora de série, uma emoção grande. Realmente é importante para os técnicos porque sai daquela rotina e você vê uma criança tão linda como é a minha neta, por exemplo. Em relação a ela, vou mudar sim porque infelizmente não pude criar meus filhos e agora estou mais perto dela e vou curtir bastante esse momento, já que quando (você é) técnico o futebol tira você muito da sua família e dos filhos. Eu agora vou curtir bastante a minha neta", contou ele ao UOL Esporte.

Não à toa, Muricy deixou a carreira de treinador e optou por uma rotina mais tranquila. Ele assinou com o Sportv para atuar como comentarista em outubro do ano passado e passou a se dedicar mais à saúde e à família. E a quem pergunta se ele voltaria para os gramados depois de ver o rostinho da netinha, ele não deixa dúvidas: "Claro que não volto ser mais técnico. Que linda é a Maria Clara!", brincou.

Arquivo pessoal

Quem ainda está na ativa também vive essa emoção. O técnico Cuca realizou o sonho de se tornar avô com o nascimento de Eloah, a primeira herdeira de sua filha Maiara Stival, na metade do mês de junho.

O vovô ainda não pode se dar ao luxo de viver em função da pequena. Cuca encara dia após dia a missão de treinar o Palmeiras com a pressão de ser sempre favorito a títulos pelos altos investimentos feitos na temporada.

Mas ainda assim, ele se sente mudado. O treinador até dedicou a vitória do Palmeiras sobre o Bahia por 4 a 1, na Fonte Nova, a ela. E, do alto de seus 54 anos, se diz mais sensível e com um desejo grande de acompanhar mais de perto o crescimento de Eloah do que pôde fazer com as filhas.

"Para mim é a realização de um sonho. Sou avô em uma fase da minha vida em que estou muito mais preparado do que estava quando fui pai, ainda jovem. Quero dar todo carinho para a Eloah que dei para as minhas filhas, e até mais. Hoje em dia estou mais sensível, mais tranquilo na vida. Espero ter tempo para ficar com ela, conseguir achar espaço no meio dessa correria que é a vida de treinador. Eu sempre vivi muito a distância da família. Na criação das minhas duas filhas eu estava longe. Primeiro no Palmeiras, ainda jogando, enquanto ela e a mãe estavam em Curitiba, e depois comigo no Grêmio, em Porto Alegre. Quero estar mais presente no crescimento da minha neta e vou ver se consigo conciliar isso", analisou.

O 'babyboom' entre os treinadores atingiu até a seleção brasileira. Tite está prestes a se tornar avô já que Fernanda Silva Bachi, esposa do filho e auxiliar técnico da seleção Matheus Bachi, está prestes a ganhar neném. Lucca pode chegar a qualquer momento.

Tite tem uma personalidade muito reservada e não deixa a sua vida pessoal influenciar no trabalho. Mas quem é próximo sabe o quanto o treinador prioriza a família e está mexido com a novidade que está por vir.

Reprodução/Instagram

Miro Bachi, irmão de Tite, conta como a expectativa do comandante está alta e isso tem feito até ele refletir sobre o futuro. "Está todo mundo com muita expectativa pela chegada do Lucca. Ontem, o Matheus era um menino e agora é um futuro pai. A gente estava conversando esses dias, ele estava comentando sobre a seleção. Ele disse: 'Depois da seleção, não sei mais o que vai acontecer'. E eu acho que isso é reflexo do Luca chegando", disse.

"Ele é apaixonado pelo trabalho e nunca deixou dúvidas do que faria depois de um projeto, nunca externou o que pensava depois de um objetivo alcançado. Ele só falou assim: 'não sei o que vai acontecer'. E eu acho que é muito pela chegada do neto". 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos