Vídeo mostra briga que matou palmeirense após clássico com Corinthians

Adriano Wilkson e Luís Adorno

Do UOL, em São Paulo

Uma série de vídeos a qual o UOL Esporte teve acesso mostra imagens da briga que matou um torcedor do Palmeiras na noite da última quarta-feira (12), após o clássico contra o Corinthians pelo Brasileirão. Câmeras de segurança de um prédio próximo à borracharia onde ocorreu o crime registraram quatro pessoas trocando agressões - duas estavam armadas com facas.

O confronto levou à morte o torcedor palmeirense Leandro de Paula Zanho, de 38 anos. Ele foi esfaqueado na barriga em frente a uma borracharia entre Rua Tupi e a Avenida General Olímpio da Silveira, na zona oeste da capital paulista.

Reprodução
Câmeras flagraram briga nas ruas de São Paulo

No vídeo, uma pessoa de camisa rosa aparece com um facão na mão, aparentemente embriagado. Vizinhos e testemunhas do crime disseram depois que se trata de Anderson da Cruz de Andrade, dono da borracharia. Segundo os vizinhos, Anderson comemorava a vitória do Corinthians no clássico. Quatro indivíduos de agasalho alviverde que passavam na rua no momento começam a agredi-lo. 

Alvo de chutes e socos, Anderson é socorrido por outra pessoa, um homem de camisa preta que segundo vizinhos e testemunhas trata-se de um funcionário da borracharia. .

Apesar de não ser possível precisar, apenas com base nas imagens, quais dos torcedores são corintianos ou palmeirenses, advogados, investigadores e vizinhos disseram ao UOL Esporte que a briga se deu pela rivalidade clubística. Leandro Zanho, que acabou morrendo, era palmeirense, ao passo que Anderson Andrade era corintiano.

Outro vídeo feito em um prédio próximo ao local mostra a continuação da briga. Neste momento, os envolvidos trocam agressões e começam a se dispersar em meio aos carros.

Dois são presos; e advogado diz que outro assumirá autoria

Horas após o crime, a polícia confirmou as prisões de Anderson da Cruz Andrade e Wellington Pimentel. Os dois são suspeitos de envolvimento na morte de Leandro. Um terceiro suspeito de participação no crime se apresentará na tarde desta quinta-feira, informou ao UOL Esporte o advogado Marcello Primo Muccio, que defende esse terceiro suspeito.

Um cabelereiro que trabalha perto da borracharia disse que atendeu Wellington horas antes da briga e que ele afirmou que era flamenguista e torceria para o Palmeiras no clássico. Vizinhos dos mecânicos afirmaram que eles não são pessoas violentas e estranharam a confusão.

Policiais da delegacia que investiga crimes ligados ao futebol estiveram na cena do crime e fotografaram marcas de sangue na calçada.

Um investigador disse que os envolvidos aparentemente não fazem parte de torcidas organizadas.

Adriano Wilkson/UOL
Calçada onde ocorreu briga entre torcedores

A briga entre os torcedores teve início após a vitória do Corinthians por 2 a 0 no Allianz Parque. O clássico, como todos em São Paulo, foi realizado com torcida única, justamente em uma tentativa de coibir a violência. O trio de amigos palmeirenses, entre eles Leandro, ia embora para casa, mas acabou encontrando um corintiano perto do elevado Minhocão. A Polícia Militar recolheu um facão e um bastão que teriam sido usados no crime.

De acordo com uma testemunha ouvida pelo UOL Esporte que estava próximo do local do incidente, logo após ser atingido, Leandro saiu correndo para um posto de gasolina perto da borracharia, já ferido. Então, os amigos o colocaram no carro e o levaram para o hospital. Enquanto isso, os agressores foram para um bar ao lado do estabelecimento.

Essa foi a terceira morte ligada ao futebol em menos de uma semana. No sábado, um vascaíno morreu nas imediações de São Januário após a derrota de seu time para o Flamengo. Na terça um estudante de 19 anos membro de uma organizada do Sport foi assassinado por torcedores do Santa Cruz no Recife.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos