Jogador do Luverdense é preso após comprar carro em esquema de fraude

Emanuel Colombari

Do UOL, em São Paulo

  • Divulgação

    Veículo comprado por Diogo Sodré foi vendido por empresário que fraudou locadora

    Veículo comprado por Diogo Sodré foi vendido por empresário que fraudou locadora

O meia Diogo Sodré, do Luverdense, foi preso em flagrante em Cuiabá na tarde desta quinta-feira (13). Aos 26 anos, o jogador é acusado de receptação de veículo roubado em um esquema de fraude nos estados do Mato Grosso e do Paraná.

Em ação conjunta entre a Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos de Veículos Automotores (DERRFVA), vinculada à Polícia Judiciária Civil (PJC) do MT, e a Delegacia de Estelionato, do PR, o atleta foi abordado em hotel na capital mato-grossense. No momento, estava em posse de um veículo que integra a lista de 16 carros envolvidos em um esquema de estelionato no Paraná.

Segundo a investigação, os automóveis fazem parte da frota de alto padrão de uma empresa de locação de veículos, a Chinasso Empreendimentos Imobiliários e Locadora Ltda. De acordo com a Polícia Judiciária Civil do MT, os veículos em questão haviam sido alugados junto à empresa em abril de 2016 por um suspeito identificado apenas como Júnior.

A PJC afirma em nota que, para alugar os veículos, Júnior "alegou ser proprietário de uma empresa que prestava serviços a partidos políticos e que esse seria o motivo da locação da quantidade de automóveis". Os veículos da empresa, no entanto, estavam sendo vendidos – e um dos compradores foi Diogo Sodré

O meia adquiriu o veículo com a empresa de Júnior em janeiro de 2017, pagando R$ 50 mil de entrada e quitando o valor posteriormente. O responsável pela venda do carro foi identificado apenas pela sigla RM e seria representante de Júnior.

"A vítima só descobriu que estava inserida em uma fraude quando uma empresa do ramo de automóveis fez contato alegando ter comprado alguns de seus veículos de Júnior", diz a nota publicada pela PJC. Segundo as autoridades do MT, a fraude comandada por Júnior na venda de veículos gerou um prejuízo de R$ 35,5 milhões.

"Com isso, a empresa procurou a Delegacia Local para registrar o fato e um inquérito policial foi instaurado no Paraná no início do mês para que fossem expedidas ordens de busca e apreensão destes veículos", completa a nota da PJC.

Clube promete conversa com meia

Luverdense EC/Divulgação
Meia se apresenta ao Luverdense ainda nesta quinta-feira; presidente do clube elogia atleta e promete conversa
A informação da prisão foi confirmada pelo presidente do Luverdense, Helmute Lawisch. Segundo o dirigente, Diogo Sodré já pagou a fiança de R$ 5 mil em Cuiabá e foi liberado para retornar a Lucas do Rio Verde, onde deve chegar ainda nesta sexta-feira. A informação foi confirmada pelo comunicado da PJC.

De acordo com Lawisch, o clube deve conversar com o meia para esclarecer a situação. "Não conversei com o atleta ainda, (mas) acho que ele entrou em uma roubada. Ele achou que estava fazendo um grande negócio", disse o presidente do Luverdense ao UOL Esporte.

O dirigente ainda elogiou o comportamento do meia no clube. "Todo o dia a dia dele é excelente", afirmou Lawisch – que, no entanto, fez uma ressalva. "Se eu estiver enganado, estou enganado mesmo. Não boto a mão no fogo por ninguém, nem pelo meu pai", completou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos