Só Cotia salva? Promessas do São Paulo se apresentam para mais uma crise

Bruno Grossi

Do UOL, em São Paulo (SP)

  • Rubens Chiri/saopaulofc.net

    Lucas Fernandes e Shaylon são promessas do São Paulo

    Lucas Fernandes e Shaylon são promessas do São Paulo

Rebaixamento batendo à porta. Mudanças constantes no elenco, trocas de técnicos. O São Paulo precisa encarar a luta contra a Série B pelo segundo ano seguido no Campeonato Brasileiro, a terceira nas últimas quatro temporadas. Em 2016, o clube resolveu apostar as fichas nas categorias de base para escapar de uma queda inédita e prosperou. Agora, depois de tantos esquemas, reforços e entrega, Cotia mais uma vez pode ser um porto seguro.

Desde a derrota por 1 a 0 para o Atlético-PR, na nona rodada, as revelações passaram a ser apostas constantes, quase sempre nas etapas finais das partidas. Começou com Brenner, de 17 anos, passou por Shaylon, de 20, e tem em Lucas Fernandes, de 19, a maior esperança. Um roteiro repetido da última temporada, com Luiz Araújo, Pedro e, principalmente, David Neres condicionados a responsáveis diretos pela salvação.

"Acho que sim, temos trabalhado bastante para isso. Busco meu espaço na equipe. Tenho certeza que não só eu, como meus companheiros vão lutar muito e vamos sair dessa situação", ponderou Lucas, o único a entrar no empate por 2 a 2 com o Atlético-GO na última quinta-feira.

Em 2016, Neres fez três gols e Araújo, dois, na arrancada contra o rebaixamento. Foram destaques em vitórias contra Fluminense e Ponte Preta e em goleadas sobre Corinthians e Santa Cruz. Agora, Shaylon conseguiu um gol diante do Santos, mas em derrota. Lucas tem ficado no quase em chutes de longe, mas acredita que logo Cotia conseguirá ajudar o time a resolver os problemas. E o histórico do técnico Dorival Júnior com jovens atletas motiva.

"Não só com a base, mas agora a chegada do Dorival tem muito a somar, tenho certeza que a gente vai sair dessa. O que falta é entender um pouco o jogo. A gente fez o 2 a 1, mas tomou o segundo em seguida. Tem que entender que na hora que fizer o gol, a gente tem que se fechar, ter mais paciência", analisou o meia-atacante, que chegou a oito jogos na temporada, 21 como profissional.

Há quatro anos, quem chamou a responsabilidade mesmo com pouca idade foi Rodrigo Caio. Aos 19 anos, assumiu posto de titular na defesa, fez gols importantes e formou dupla segura com Antônio Carlos. O atacante Ademilson, também aos 19 anos, foi outro titular da arrancada com Muricy Ramalho que tirou o time da zona de rebaixamento e terminou com um nono lugar em 2013.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos