Naturalizado russo, goleiro brasileiro é alvo de ofensas racistas em Moscou

Do UOL, em São Paulo

O goleiro Guilherme Marinato, 31, foi alvo de ofensas racistas em jogo da Supercopa da Rússia, em Moscou, na última sexta-feira (14). Nascido no Brasil e naturalizado russo, o jogador defende atualmente o Lokomotiv, que perdeu por 2 a 1 para o Spartak Moscou na prorrogação, e ouviu os xingamentos da torcida rival.

"Banana, banana. Por que diabos a seleção russa precisa de um macaco?", questionaram os torcedores do Spartak. Guilherme vem sendo convocado regularmente para a equipe nacional do país e esteve na Copa das Confederações de 2017, que foi realizada na Rússia.

Os torcedores do Spartak não falaram o nome de Guilherme, mas o jogador é o único entre os que foram titulares do Lokomotiv que não nasceu na Rússia e defende a seleção do país.

Guilherme começou a carreira no Atlético-PR, time que defendeu entre 2005 e 2007. Transferiu-se então para o Lokomotiv Moscou e se tornou um dos jogadores com mais longeva carreira na equipe.

Em 2015, Guilherme obteve cidadania russa. Logo depois, tornou-se o primeiro jogador não nascido na extinta União Soviética a defender a seleção do país. Além da Copa das Confederações deste ano, o goleiro esteve na Eurocopa de 2016.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos