Athirson ganha na Justiça processo contra o Flamengo-PI

Bruno Thadeu

Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução

O técnico e ex-jogador Athirson ganhou processo que move contra o Flamengo do Piauí. Em decisão da 1ª Vara do Trabalho, ficou decidido que o clube de Teresina terá de pagar R$ 72 mil, com correções, a Athirson, que treinou o Fla do Piauí de outubro de 2015 a abril do ano passado.

Os valores cobrados por Athirson na Justiça do Piauí se referem a salários atrasados, recolhimento do FGTS, férias e multas pela rescisão. Cabe recurso ao Flamengo-PI.

Athirson ganhava R$ 9 mil por mês no time de Teresina.

A juíza Regina Coelli Carvalho determinou que o Flamengo local pague os salários de fevereiro e março de 2016 (R$18.000,00); saldo de salário de abril de 2016 - 15 dias (R$4.500,00); férias proporcionais (6/12) + 1/3 (R$6.000,00); 13º salários proporcionais de 2015 (2/12) e 2016 (4/12) - (R$4.500,00); percentual dos contratos de patrocínios, no valor de R$10.000,00; multa por rescisão antecipada, considerando-se o que seria devido a título de salários, 13º salários, férias + 1/3 e FGTS do restante do período contratado (16/04/2016 a 1º/06/2016 - R$6.500,00); multa do art. 467 da CLT (R$6.750,00), e multa do art. 477 da CLT (R$9.000,00).

Na ação, Athirson pedia também indenização por danos morais, alegando que o presidente do clube teria desqualificado seu trabalho em entrevista à imprensa.

Mas a juíza entendeu que a declaração supostamente proferida por Tiago Vasconcelos (dizendo que o trabalho de Athirson foi "um desastre, uma vergonha e falta de respeito") não representa um dano moral.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos