Intimação da Fifa e janela aceleraram venda de Ramón Ábila no Cruzeiro

Enrico Bruno e Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Washington Alves/Light Press

    Ramon Ábila deixa o Cruzeiro e acerta mudança para o Boca Juniors

    Ramon Ábila deixa o Cruzeiro e acerta mudança para o Boca Juniors

A intimação de 30 dias da Fifa ao Cruzeiro para quitar a dívida de Ramón Ábila com o Huracán, da Argentina, se encerraria nesta quarta-feira (19). Para não ter problemas com a entidade que rege o esporte, os mineiros aceleraram o processo de venda do atleta ao Boca Juniors. Outro ponto que influenciou é a necessidade de inscrever Messidoro na atual janela de transferências.

Internamente, o "sim" da Raposa ao clube de Buenos Aires tinha um prazo estipulado - a data de vencimento da intimação. Mesmo com a possibilidade de recurso, a diretoria optou por negociar a situação com antigo detentor dos direitos do atacante, evitando um desgaste jurídico e visando a regularização do novo reforço.

Como precisa inscrever o contrato de Messidoro no Boletim Informativo Diário (BID) da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) até esta quarta-feira, data limite para transferências internacionais no Brasil, os mineiros precisavam adiantar o processo de venda do centroavante.

A questão da dívida é referente a problemas burocráticos. Avaliado em 1,5 milhão de dólares (R$ 4,7 milhões na cotação atual), o débito será assumido pelo Boca Juniors. Daniel Angelici, presidente do clube de Buenos Aires, já acertou os detalhes do pagamento ao Huracán. As equipes cogitam duas formas de acerto: cessão de atletas ou parcelamento do montante.

A ida de Ramón Ábila para La Bombonera faz com que o Cruzeiro se livre do maior de seus problemas em relação às finanças. O Huracán vinha cobrando os mineiros publicamente desde dezembro do ano passado.

Segundo o acordo que culminou na ida de Wanchope, como Ábila é conhecido, para a Toca da Raposa II, o time de Belo Horizonte teria que pagar US$ 2,5 milhões à vista, o que foi feito em julho de 2016. Uma nova parcela, no valor de US$ 1,5 milhão, era prevista para 5 dezembro de 2016. O montante, contudo, jamais foi pago.

Após cobranças públicas do presidente Alejandro Nadur, o Huracán optou por acionar a Fifa em maio deste ano. A entidade que rege o futebol intimou o Cruzeiro a pagar o valor em 30 dias, contados a partir de 19 de junho passado. Com a transferência de Ábila para a equipe de Buenos Aires, o Boca Juniors é quem terá a incumbência de pagar o débito.

Além de se livrar da dívida, a Raposa receberá, por empréstimo até o fim de 2018, o meia Messidoro, de 20 anos, que destacou-se pelo Sport Boys, da Bolívia, na primeira fase da Libertadores. Revelado pelo Boca, ele estava emprestado à equipe boliviana. O Cruzeiro ainda manteve, pela negociação, um percentual da futura venda de Ábila.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos