Lesão de Jadson põe resgate de dupla criticada no Corinthians à prova

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

  • Rodrigo Gazzanel/Agência Corinthians

    Marquinhos Gabriel e Giovanni Augusto ganham espaço com ausência do titular

    Marquinhos Gabriel e Giovanni Augusto ganham espaço com ausência do titular

Desde que estabeleceu seu atual time titular ainda durante o Campeonato Paulista, Fábio Carille não perdeu um jogador por tanto tempo quanto ficará sem Jadson. Desfalque previsto por um mês em razão de duas fraturas na costela, o meia abre espaço para uma dupla que sofreu contestações recentes e conta com o respaldo da comissão técnica para vencer as críticas. 

Maiores investimentos do presidente Roberto de Andrade em sua gestão no Corinthians, os meias Giovanni Augusto e Marquinhos Gabriel ganham espaço com a saída do titular em, provavelmente, seis ou sete partidas. Eles custaram, juntos, mais de R$ 25 milhões ao clube, que espera agora uma recompensa que não teve, por completo, em 2016. 

O herdeiro da titularidade, inicialmente, será Marquinhos Gabriel. O meia tem sido o jogador requisitado por Carille sempre que há algum impeditivo com Jadson ou Rodriguinho, e assim deverá seguir a partir do domingo, em visita ao Fluminense.

Depois de perder os primeiros meses do ano por lesão, Marquinhos conquistou seu espaço desde o começo do Campeonato Brasileiro e, apesar de um ou outro jogo irregular, como diante do Patriotas-COL ou no último fim de semana contra o Atlético-PR, passou a ser visto de melhor maneira pela crítica e sobretudo pela torcida. Não só pela qualidade, mas também por se mostrar mais ativo no trabalho sem bola. 

Até aqui, Marquinhos deu assistência decisiva contra o Vitória, foi um dos melhores em campo em clássico com o São Paulo, novamente com passe para gol, e ainda brilhou em visita ao Vasco, inclusive com um golaço e outra assistência. A lesão de Jadson faz com que ele, em caso de boas apresentações, tenha a primeira sequência como titular desde os tempos em que Carille foi interino em 2016.

Giovanni Augusto sobe um degrau na hierarquia

AFP PHOTO / Luis Acosta
Giovanni Augusto deve receber mais oportunidades de Carille

Com um concorrente a menos por vaga na equipe, Giovanni Augusto também deverá ser colocado à prova no período sem Jadson. Antes de o experimente meia voltar da China ao Corinthians, era justamente em Giovanni que Carille apostava como titular no setor direito do meio-campo. Foi assim na abertura de 2017, contra São Bento e Caldense, até que ele sofreu a primeira de suas três lesões deste ano.

Recuperado dos problemas físicos há algumas semanas, ele tem tido poucas oportunidades enquanto Carille preferiu utilizar jogadores como o jovem Pedrinho e o meia Clayson. Das últimas 10 partidas, mesmo sempre à disposição, Giovanni Augusto entrou em somente duas e totalizou 40 minutos em campo. Nesse pouco tempo, não mostrou evolução.

Ainda assim, o treinador tem na memória o ótimo primeiro semestre do meia no ano passado. Enquanto a equipe campeã brasileira se desmanchava, Giovanni Augusto foi, entre todos os jogadores contratados, aquele que melhor se adaptou ao Corinthians e às ideias de jogo por Tite, justamente em substituição a Jadson, que fora vendido à China. A partir da chegada de Cristóvão Borges, porém, o rendimento caiu drasticamente, como de quase todos atletas na ocasião.  

Giovanni Augusto indicou que gostaria de apostar em sua volta por cima com a camisa do clube em ocasião recente. O Corinthians e o Internacional acertaram troca por empréstimo com Valdívia, mas o meia se negou a deixar o Parque São Jorge e disse à direção e comissão técnica que tentaria a redenção. Bem parecido ao que fez Marquinhos Gabriel, procurado por Santos, Grêmio e Flamengo, mas que não se seduziu com a chance de saída e apostou que poderia brilhar em um momento como o que surge agora. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos