Renovação aumentou "sombra" de Messi e aproxima Neymar do PSG

João Henrique Marques, Marcel Rizzo, Pedro Lopes e Ricardo Perrone

Do UOL, em Barcelona e São Paulo

  • Manu Fernandez/AP Photo

    Messi e Neymar em detalhe na temporada passada; brasileiro idolatra o argentino

    Messi e Neymar em detalhe na temporada passada; brasileiro idolatra o argentino

Neymar tem ótima relação com Messi no Barcelona, mantém amizade e idolatra o argentino como jogador de futebol. Apesar disso, a renovação do camisa 10 com o clube catalão é um fator importante para o atacante da seleção brasileira balançar com a possibilidade de se transferir para o Paris Saint-Germain.

A renovação de Neymar com o Barcelona, em outubro do ano passado, o colocou como herdeiro natural da posição de Messi como craque do time: vínculo longo, até 2021, salário próximo ao do argentino e uma multa rescisória que aumenta progressivamente, refletindo o esperado crescimento do atacante na hierarquia de importância no elenco catalão.

No último dia 5 de julho, entretanto, Messi assinou um novo acordo. O contrato também vai até 2021, dobrou o salário do argentino e estabeleceu uma multa rescisória de 300 milhões de euros. O novo vínculo do camisa 10, chamado pelo Barça de "melhor jogador da história", prevê sua permanência na Catalunha durante toda a passagem de Neymar.

Se cumprir seu contrato até o fim, Messi deixará o Barcelona aos 34 anos, com Neymar perto de completar 30 anos – ainda em alto nível, mas já entrando na última fase da carreira. O argentino não dá grandes sinais de decadência (marcou 54 gols em 52 jogos na última temporada) e é o maior jogador da história do clube. Ao que tudo indica, enquanto ele estiver no Camp Nou, o time é de Messi.

Pessoas que convivem com Neymar afirmam que, apesar da amizade e da admiração, o atacante tem como objetivo de carreira chegar o mais próximo possível do patamar atingido por Messi. O argentino é ídolo do brasileiro justamente pela estatura que alcançou, e aparece como espelho e exemplo de carreira bem sucedida. Para chegar lá, o camisa 10 da seleção brasileira vem amadurecendo a ideia de mudar de ares.

O PSG é, atualmente, um dos únicos clubes da Europa que pode oferecer a Neymar os ingredientes para essa receita: um projeto de protagonismo, tendo ele como principal nome em torno do qual é construído o time; um elenco altamente competitivo e capaz de brigar com Barcelona, Real Madrid e outros pela Liga dos Campeões da Europa; e poder financeiro suficiente para tirá-lo da Catalunha.

O Barcelona, oficialmente, vem tentando demonstrar confiança na permanência de Neymar. Na última quarta-feira, o presidente Josep Bartomeu comentou aos jornalistas presentes no embarque do time aos EUA que não há ameaça de saída do brasileiro. Nem o PSG nem o pai de Neymar, gestor de sua carreira, se pronunciaram oficialmente sobre a negociação até o momento. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos