Auxiliar admite erro em jogo do Inter e critica Arnaldo: "Faltou respeito"

Adriano Wilkson

Do UOL, em São Paulo

  • Arquivo pessoal

O bandeirinha Marcio Eustáquio Santiago está muito chateado com o ex-árbitro Arnaldo Cezar Coelho. Marcio cometeu um erro na partida entre Internacional e Luverdense na última terça-feira (18), pela Série B, e o lance acabou gerando o gol da vitória dos gaúchos.

Minutos após o fim do jogo, Arnaldo entrou ao vivo no Sportv e disse que Marcio teria se comportado como um árbitro "de várzea" e que não deveria estar no quadro da arbitragem brasileira.

As críticas magoaram o auxiliar, que trabalha há 23 anos na função e diz já ter atuado em mais de 300 jogos na Série A do Brasileiro. Ele admite que errou no lance em questão, mas ressaltou que equívocos fazem parte da profissão. "Ali na hora a gente está sempre no limite. Eu errei, mas no mesmo jogo tive acertos difíceis. A única coisa que me machucou nessa história foi o que falou esse Arnaldo, uma colocação pesada e esdrúxula", disse o auxiliar em entrevista ao UOL Esporte.

"Ele tinha que me respeitar como árbitro e como homem. Magoou a mim e à minha família. Ele foi um grande árbitro, mas será que se na época dele houvesse os recursos tecnológicos que temos hoje ele teria sido um grande árbitro? Será que ele esqueceu os erros dele? Ele já fez um monte de comentário errado, precisa se atualizar. Ele diz que o assistente se fosse bom não correria fora do campo. Isso é um desrespeito com o profissional. O curso que fazemos é o mesmo. Eu fiquei assistente porque sempre fui bem como assistente. Se você pegar toda a minha carreira não vai encontrar nem três erros com essa gravidade".

No lance, Marcio levanta a bandeira assinalando um impedimento inexistente contra o Inter. Por instinto, os jogadores do Luverdense param de correr, mas o árbitro principal, notando o erro de Marcio, deixa o jogo seguir. Sem a defesa (que havia parado), o ataque do Inter faz o gol da vitória aos 48 minutos do segundo tempo. A comissão de arbitragem da CBF decidiu suspender o auxiliar e submetê-lo a uma "reciclagem".

Na TV, Arnaldo disse que "nunca tinha visto um lance desse no futebol mundial". Também fez críticas mais duras: "Esse Eustáquio participou do jogo intensamente, entrava em campo para advertir, entrava em campo quando marcava lateral. [...] Foi o causador de toda essa lambança. Agiu como se estivesse no futebol de várzea. O futebol brasileiro não pode ter um assistente que se comporta dessa forma. Não pode pertencer ao quadro brasileiro de árbitros".

Segundo Marcio, vários juízes e auxiliares o procuraram para mostrar solidariedade e se revoltaram com a declaração do comentarista da Globo e do Sportv. O sindicato nacional de árbitros também lançou nota em apoio ao filiado.

Aos 45 anos, com experiência de ter atuado em jogos da Libertadores e até de uma final de Copa América, Marcio Eustáquio, cuja profissão é de inspetor de polícia, disse que a arbitragem deve ser um trabalho em equipe.

"Esse é o pilar principal da arbitragem hoje em dia, o trabalho em equipe. O árbitro [principal] não consegue apitar um jogo sozinho. Nós conversamos muito durante todo o jogo. O Arnaldo está muito desinformado pra criticar um profissional como eu. Eu treino todos os dias, faço reforço muscular na academia, levo uma vida de profissional sem ser profissional."

Ele disse que ainda não havia sido notificado oficialmente sobre seu afastamento, mas quando isso acontecer ele aceitará a punição.

Procurado pela reportagem via assessoria de imprensa do Sportv, Arnaldo Cezar Coelho não havia se pronunciado até a publicação dessa reportagem.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos