Filho de barbeiro e irmão de Romário: Quem é a nova estrela do Vasco?

Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

O futebol cerca a vida de Paulo Henrique. Barbeiro na Vila da Penha e torcedor do Fluminense até então, sempre foi adepto da boa e velha "resenha" sobre a rodada com a clientela. Fã de Romário, batizou com este nome o filho mais velho, homenageando um dos personagens mais ilustres do bairro, terra natal do "Baixinho". Só que foi com o caçula, Paulo Henrique Filho, que a relação com o esporte se intensificou de vez.

Paulinho, como é conhecido no mundo da bola, deu seus primeiros passos na carreira aos oito anos, quando defendeu o futsal do Madureira, conhecido por revelar talentos no Rio de Janeiro. Foram três anos no Tricolor Suburbano, onde também ingressou no campo. Em seguida, foi chamado para o Vasco e não saiu mais.

No clube desde os 11, tem uma ligação quase umbilical com o Cruzmaltino. Por lá, além de treinos e jogos, também estuda no colégio Vasco da Gama, voltado para atletas da base e que fica dentro de São Januário.

Tímido, não chega a ter a mesma personalidade extrovertida comum de muitos jogadores desta idade. Acha que ainda não é o momento de fazer tatuagens e nem usar brincos. Sua vaidade se resume ao corte de cabelo com seu pai sempre nas vésperas dos jogos. Quem o conhece de perto, o considera "focado". Os mais velhos o classificam como "maduro" e "humilde" no alto de seus 17 anos, recém-completados no último dia 15.

Apesar de ainda ser um adolescente, já se destaca pelo porte físico, fato que o fez ser apelidado pelos companheiros como "Paulada", pela constante vantagem que leva nas disputas de corpo com os adversários.

Paulo Fernandes / Flickr do Vasco
Paulinho foi recebido pela família no aeroporto após a vitória sobre o Atlético-MG

A seleção brasileira de base também já é um costume em sua vida. Paulinho coleciona convocações e, neste ano, sagrou-se campeão sul-americano sub-17 fazendo parceria de ataque com o rubro-negro Vinícius Júnior, vendido ao Real Madrid por cerca de R$ 164 milhões.

Com os holofotes voltados para si após os dois gols marcados sobre o Atlético-MG, presencia pela primeira vez uma forte badalação em torno de seu nome. Mas quem já o acompanha de longa data sabe que olheiros de gigantes europeus monitoram e levantam suas estatísticas há tempos.

O Vasco se previne como pode. Como ainda é menor de idade, Paulinho tem o tempo máximo de contrato firmado permitido com o clube: três anos. Enquanto ainda dá seus primeiros passos no profissional, não tem medo de sonhar alto:

"Tenho sonho de jogar no maior alto nível possível. Trabalho muito para isso, para ter momentos como esse", disse, com todo o jeito de garoto. "Sem empolgação. É continuar trabalhando para ter mais oportunidades como titular e ajudar o Vasco a fazer uma boa campanha".

Embora tenha feito apenas três jogos como profissional, Paulinho já atinge marcas expressivas. Ele se tornou o jogador mais jovem a atuar pelo Vasco no século XXI e foi o primeiro atleta nascido a partir de 2000 a fazer um gol no Campeonato Brasileiro. Ele já soma dois tentos e uma assistência na competição.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos