Leila Pereira admite que pode se candidatar à presidência do Palmeiras

Do UOL, em São Paulo

  • Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Pela primeira vez desde que virou conselheira do Palmeiras, a empresária Leila Pereira admitiu que poderia se candidatar à presidência do clube, no programa Bate-Bola, da ESPN Brasil.

"Pode ser. Que conselheiro, que torcedor, qualquer um faria isso. Se alguém me perguntar se eu posso contribuir com isso, se um dia posso ajudar como presidente do Palmeiras, claro que vou querer ajudar", afirmou Leila, que comanda a Crefisa e Faculdade das Américas, patrocinadoras da equipe alviverde.

Na entrevista, a conselheira desconversou se concorreria ao cargo daqui a dois mandatos, já que o atual presidente Mauricio Galliotte poderá tentar a reeleição, em 2018. "Eu penso a curto prazo. Eu quero que o Palmeiras seja campeão agora".

Leila foi eleita conselheira em fevereiro de 2017. Pelas regras do clube, ela precisa aguardar 4 anos no cargo até se tornar elegível. Galliotte tem mandato até o fim de 2018, e tem direito a tentar a reeleição até 2020. A patrocinadora, em tese, não estaria apta a substituí-lo, já que as eleições tradicionalmente ocorrem no fim do ano, quando ela ainda não teria cumprido o prazo. Neste cenário, ela só poderia concorrer em 2022.

Confira outros trechos da entrevista:

SOBRE SER VASCAÍNA?

Sem dúvida alguma, o que mais de dá prazer é ver o Palmeiras jogar. Nunca fui vascaína. Seus agentes secretos são furados. Palmeirense! Sempre fui palmeirense. Isso de ser vascaína é tudo papo furado.

AJUDA AO PALMEIRAS

O que me move a estar no Palmeiras não é visibilidade que o Palmeiras me dá, é a oportunidade que tive de poder contribuir em um momento muito difícil do clube. Foi no início de 2015, vocês lembram bem como foi o ano de 2014, quase caímos de novo. Entrei para ajudar o clube, foi uma coisa ímpar. Pela situação do clube, pela grandeza... Não poderia ficar naquela situação. Eu bati na porta do Palmeiras: quero patrocinar o clube, ajudar o Palmeiras. Foi aí que começou o maior patrocínio das Américas.

CREFISA DEPENDÊNCIA?

Nada se constrói isoladamente. O Palmeiras está bem por conta da renda da Arena, número de sócios do Avanti, cotas de televisão e patrocínio.

MÁGOA DE PAULO NOBRE?

Não tenho mágoa. Não tenho mágoa de ninguém. Não olho para trás, só olho para frente. Tudo que eu fiz, faria a mesma coisa para conseguir os resultados que o Palmeiras conseguiu. Quero deixar claro que não tenho problema pessoal nenhum com o ex-presidente, tivemos problemas contratuais. Preciso proteger os direitos das minha empresas e só beneficio o Palmeiras. Faço com muito prazer e orgulho. Não fui eu que descumpri os contratos.

DINHEIRO TRAZ FELICIDADE?

Se falar que não, é demagogia. É claro que dinheiro traz felicidade. Se tratar no hospital, colocar seus filhos na escola... Eu faço tudo isso.

PRESIDENTE SUMIDO?

O Maurício não está sumido. O Maurício fica mais no clube social, mas vai também na Academia. Posso falar do relacionamento que eu tenho. Não dá para falar das personalidades. Eu gosto muito do Maurício, admiro o trabalho dele. Ele respeita o patrocinador, sabe da importância do patrocinador, sabe se colocar. Não tenho problemas, nunca tive. Já me relaciono com ele antes de ser presidente. Na outra gestão, já tínhamos um relacionamento. No último ano, o Maurício já havia trabalhado muito bem.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos