Gol, desabafo e negociação encerrada: o renascimento de Sasha no Inter

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

  • Ricardo Duarte/Divulgação

    Eduardo Sasha comemora do Internacional contra o Oeste, seu primeiro no ano

    Eduardo Sasha comemora do Internacional contra o Oeste, seu primeiro no ano

Eduardo Sasha marcou o seu primeiro gol neste ano aos 45 minutos do primeiro tempo da partida do Inter contra o Oeste pela Série B do Campeonato Brasileiro. Titular na vitória por 2 a 0, nessa terça-feira, o atacante entrou em campo em meio a dúvidas sobre sua permanência no time gaúcho. Esteve envolvido em uma negociação com o São Paulo durante a semana. Fez silêncio depois da partida e só se manifestou através das redes sociais. Desabafou e renasceu vestindo vermelho.

O começo do ano foi de recuperação. Sasha passou por uma cirurgia no fim de 2016 e a retomada no futebol precisou ser gradativa. Primeiro treinos físicos, depois toques leves na bola e o contato com adversários como barreira final a ser vencida.

Passou a entrar nos jogos e sofreu um pouco pela necessidade de retomar ritmo de competição. Em meio a isso, a cobrança forte da torcida e uma série de especulações sobre o futuro. A possibilidade de ter o mesmo destino de Valdívia e ser negociado era repetidamente um assunto no Beira-Rio.

Sasha nunca se manifestou. As poucas palavras escritas em suas redes sociais mostravam o desejo de permanecer no Inter. Até a última semana, quando os rumores tornaram-se concretos. Em negociação com o São Paulo, o Colorado pediu a liberação de Wellington Nem e, então, cederia Sasha. Só que o técnico Dorival Júnior vetou acordo, que acabou não acontecendo.

Independente da negociação, ele foi escolhido por Guto Ferreira para começar o jogo dessa terça. Foi o melhor em campo. Fez um gol, por pouco não fez outros dois. Foi substituído aos 40 minutos do segundo tempo e ouviu muitos aplausos.

"O Sasha foi importante. Está voltando, recuperando, teve um desempenho muito qualificado e tudo são processos. Quando voltei, ele tinha feito o primeiro jogo contra o Palmeiras (pela Copa do Brasil), vinha uma parada de quase seis meses, e o jogador tem que recuperar ritmo. Existe toda uma situação aversa a ele, que começou a gerar críticas externas, que tem que proteger, que tem que segurar, trabalhar o momento. e ir soltando. Hoje conseguimos, graças aos treinamentos que ele mostrava, mostrou em Goiânia (na derrota para o VIla Nova no sábado), deu uma resposta fantástica hoje, ao nível do Sasha dos bons momentos", disse o técnico.

Enquanto isso, a direção do Internacional está decidida pela permanência dele. Não pretende a liberação imediatamente, seja para o São Paulo ou qualquer outro clube.

"Eu acredito muito no Sasha. Final de 2013 quando contratamos o Abel (Braga, técnico), eu enviei material de três jogadores para ele. Lucas Lima (hoje no Santos), que estava emprestado ao Sport, Sasha, que estava no Goiás, e do Augusto, que acho que estava na Chapecoense. E o Sasha, coincidentemente, pela qualidade que tem, nos últimos três anos, nossos melhores momentos foi quando ele esteve bem. Teve dificuldade com lesões, mas com ele em campo sempre foram nossos melhores momentos. A negociação nunca nos passou pela cabeça. Houve interesse de vários clubes, recebemos sondagens de alguns clubes, e todas foram rechaçadas", afirmou o vice de futebol Roberto Melo.

Silêncio após o jogo, desabafo nas redes

Após se destacar em campo, Eduardo Sasha se negou a falar nessa terça. Descontente com as notícias que colocaram sua possível ida para o São Paulo em destaque, o atacante deixou o campo e o estádio Beira-Rio sem responder qualquer questionamento dos jornalistas presentes. Usou suas redes sociais para se manifestar e desabafar após o gol marcado.

"Meu primeiro gol no ano, e só eu sei o quanto trabalhei para merecer este prêmio, coroado com a vitória colorada. Muitas coisas me deixam triste, mas não me abalam, só acho que poderia e deveria ser diferente, afinal, sou cria do Inter e sempre tenho que correr por fora para mostrar meu valor. Mas voltamos, lá continuo trabalhando e me esforçando. Um gol no Beira-Rio é sempre especial. Aos que me apoiam, obrigado, e aos que me criticam, saibam que vou continuar me doando ao máximo por essa camiseta. Obrigado a todas mensagens de apoio, torcedores colorados, seguimos na guerra, apenas mais uma batalha vencida", postou.

A partida significou mais do que apenas uma atuação convincente. Sasha começou o processo de reconquista da torcida, que o cobrou em muitos momentos anteriores. Cavou espaço entre os titulares e deve ser mantido na equipe para o jogo da próxima terça, diante do Goiás. E o 'renascimento' também tende a afastar de vez a chance de negociação.

Com 25 anos e contrato até 2020, este foi apenas o oitavo jogo de Sasha no ano. E a primeira vez que balançou as redes rivais em 2017.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos