Time de base do SP competiu entre si contra 'oba-oba' de 59 gols em 2 jogos

Karla Torralba

Do UOL, em São Paulo

  • Divulgação/SPFC

Os placares conquistados pela equipe sub-19 do São Paulo em dois jogos durante a Future Cup, na China, dificilmente serão repetidos um dia. O 30 x 0 e o 29 x 0 foi um teste de foco para a equipe que tem jogadores de 16 a 18 anos. Nesta quarta (16) - hora do Brasil – a equipe enfrenta a seleção da Coreia do Norte.

O técnico Marcos Vizolli, que acompanha os 16 jogadores da base são-paulina do outro lado do mundo contou que os times chineses enfrentados nos dois primeiros jogos eram tão frágeis que os seus jogadores começaram a competir entre si.

"O foco foi tão legal que eles começaram a competir entre eles sempre querendo mais. A segunda partida foi 29 a 0 e novamente uma equipe muito frágil. O foco é muito importante de buscar o jogo a cada situação. No final do jogo faltava 3 gols para igualar o primeiro jogo, mas não conseguiram. Teve desorganização e isso temos que rever para equipes mais fortes", analisou o treinador em entrevista ao UOL Esporte sobre as primeiras duas partidas contra Baotou FC e Erdos Mongólia.

Em dois tempos de 40 minutos, o  time dos garotos do São Paulo fizeram praticamente um gol a cada 2 minutos sem cansar de buscar mais. "O que chamou atenção foi o objetivo deles. eles trabalharam, trabalharam. A cada gol eles iam buscar a bola no gol e levaram para o meio de campo. Eles conseguiram fazer um gol a cada dois min mais ou menos. Não foram por acaso, foram buscados contra uma equipe muito frágil", disse Vizolli.

O comandante ainda destacou a necessidade de evitar um oba-oba da equipe. "Estamos em hotel 5 estrelas e precisamos sempre de pé no chão e traçar objetivo. O objetivo é o título, mas muito mais o amadurecimento para que todos tenham evolução, porque todos são treinados para jogar no São Paulo. O oba-oba é bem controlado, às vezes é difícil, mas a gente tentar segurar o máximo e tentar fazer as coisas mais corretas para que não se percam em nenhum momento".

Vizolli sabe que se perderem para a Coreia do Norte todos os 59 gols não servirão de nada. "São dois grupos de 5 e só classifica o campeão e depois dessas goleadas temos a seleção da Coreia do Norte, que ganhou o primeiro jogo, não fez 30, mas ganhou bem. É uma competição automaticamente com times menos técnicos, mas competição que não pode perder, porque, como fizemos 59 gols, se perder para a Coreia está fora. É um pouco mais delicado, complicado", explicou.

Os destaques

O treinador também citou alguns dos destaques que podem aparecer no futuro no time principal do São Paulo. "Eles são jovens e têm muita coisa para crescer. Ele vem trabalhando comigo há muito tempo o goleiro Tiago que fez a temporada esse ano com o Rogério Ceni, nos Estados Unidos, é promessa, trabalhador, firme. Temos os dois zagueiros Tuta e Diego que vem jogando, tem tripé do meio campo que já vem sendo monitorado, o Cássio, jogador de criatividade, temos o Rafael que joga na meia e no lateral e o sistema ofensivo que tem um marquinho Cipriano artilheiro do sub-17, o Jonas Toro que veio do Primavera de Indaiatuba, tem 15 gols aqui. Temos Danilo, Fábio, que é muito forte fisicamente. O Danilo teve lesão e está retornando e tem os outros que são jovens e tem a possibilidade grande de estar futuramente vestindo a camisa do São Paulo", comentou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos