Os 5 principais desafios de Mancini, técnico com mais jogos pelo Vitória

Roberto Oliveira

Colaboração para o UOL, em Recife

  • Armando Paiva/AGIF

    Entre os desafios, Mancini precisa dar padrão de jogo à equipe e reconquistar a torcida

    Entre os desafios, Mancini precisa dar padrão de jogo à equipe e reconquistar a torcida

Vagner Mancini foi apresentado nesta quarta-feira (26) no Vitória. Treinador que mais vezes comandou a equipe, com 148 jogos oficiais pelo clube, ele precisará lançar mão de toda sua experiência no Barradão para tirar a equipe da incômoda vice-lanterna do Brasileirão.

Mancini assume o Vitória com diversas dificuldades a serem superadas, em meio a uma das mais graves crises da história do clube centenário. Assim, o UOL Esporte listou 5 desafios que o treinador terá de encarar para salvar a equipe do rebaixamento para a Série B.

Arrumar a defesa

Com 29 gols sofridos, o Vitória está empatado com o lanterna Atlético-GO como as piores defesas do campeonato. Entre outros motivos, como a falta de um volante marcador à frente da área, o número de bolas na rede da equipe está relacionado com a indefinição da dupla de zaga titular. Até aqui no Brasileirão, o Leão baiano já utilizou sete duplas de zagueiros diferentes. Em campo, o primeiro desafio de Mancini será arrumar o sistema defensivo.

Dar padrão de jogo

O Vitória já teve três treinadores em 2017, Argel Fucks, Petkovic e Alexandre Gallo, além dos interinos Wesley Carvalho e Flávio Tanajura. Ou seja, com tantos nomes e métodos de trabalho no comando, o time não tem um padrão de jogo. "Vi jogos com todos os treinadores. É lógico que você tem misturadas metodologias que não fazem bem ao atleta. Nós vamos ter que estar atentos a isso daí. Até o jogo do Cruzeiro vou fazer muito pouco, será mais na base da conversa", analisou Mancini durante sua apresentação.

Elevar a moral da equipe

O Vitória vem de quatro derrotas seguidas no Brasileirão. A última vitória foi justamente contra o lanterna Atlético-GO, no dia 8 deste mês. Como revés atrás de revés, os jogadores perdem a confiança. Na atual conjuntura, Mancini sabe que reconstruir a moral da equipe é fundamental. "Nós vamos dar ao time uma cara diferente, de um time que vencia os jogos dentro do Barradão. Vou pedir aos meus atletas para que a gente volte a ter o perfil do Vitória, que sempre foi forte dentro de casa. Isso recupera a autoestima, a confiança, e faz com que o torcedor venha ao estádio."

Reconquistar o apoio da torcida

Com média de público de 8.393 no Brasileirão 2017, o Vitória está à frente apenas da Ponte Preta, Avaí e Atlético-GO no quesito. A ausência do torcedor rubro-negro no Barradão reflete não apenas o mau momento técnico da equipe, mas também a falta de confiança na reação da equipe. Sobram críticas a alguns jogadores, como Kieza e o badalado, porém improdutivo até então, Cleiton Xavier.  Técnico que mais vezes comandou o Vitória, com boas passagens pelo clube, Mancini é um bom nome para reconquistar o apoio do torcedor. Ele sabe que isso será fundamental para voltar a ser forte no Barradão, e deixou isso nítido durante sua apresentação.

Blindar o elenco da crise política

Apenas na última semana, o Vitória viu o presidente eleito Ivã de Almeida pedir afastamento, o técnico Alexandre Gallo cair e o executivo de futebol Dejan Petkovic ser demitido. Antes de Pet assumir, o então diretor de futebol, Sinval Vieira, já havia renunciado. Por trás dessa turbulência, está uma das maiores crises políticas da história do clube - e a maior deste século, com disputa de vários grupos políticos em meio à tentativa de democratizar o clube. Nesse contexto, Mancini terá como desafio blindar o vestiário de tamanha instabilidade institucional. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos