R. Oliveira lamenta falta de autoridade de árbitro: "não se volta atrás"

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

  • Marcello Zambrana/AGIF

    Ricardo Oliveira diz que foi pênalti de Réver em cima do atacante Bruno Henrique

    Ricardo Oliveira diz que foi pênalti de Réver em cima do atacante Bruno Henrique

O atacante Ricardo Oliveira expôs sua opinião sobre o polêmico pênalti anulado para o Santos no duelo contra o Flamengo na última quarta-feira, na Vila Belmiro, válido pelas quartas de final da Copa do Brasil. O capitão santista lamentou a falta de autoridade do árbitro Leandro Vuaden.

Para o camisa 9, o árbitro deveria ser a autoridade máxima durante o jogo e, sendo assim, não poderia aceitar uma intervenção externa.

Vuaden marcou pênalti para o Santos aos 40 minutos do primeiro tempo, em disputa entre Réver e Bruno Henrique na área. Após cerca de um minuto, o juiz consultou o quarto árbitro, Flávio Rodrigues de Souza, e reverteu a marcação da penalidade.

"É preciso repensar. Se tem uma autoridade, é o árbitro. Não se muda depois das decisões. No cartão, expulsão, não se volta atrás. Atleta é punido mesmo que não tenha sido ele ou sido justa, mas se toma a decisão, é máxima autoridade. Gostaria que a máxima autoridade fosse mais respeitada", afirmou Ricardo Oliveira.

O centroavante santista não ficou "em cima do muro" ao falar sobre o lance polêmico envolvendo Réver e Bruno Henrique. Para ele foi pênalti, e Vuaden havia acertado até voltar atrás após conversa com o quarto árbitro.

"Naquele momento, do lado e acompanhando a jogada. Estava do lado do Bruno esperando uma tabela. Ele chega em velocidade, dá o drible e rápido e veloz como é, chegaria na bola tranquilamente. Essa é a minha avaliação. Chegaria na bola tranquilamente. Há o contato dentro da área, tocando a bola ou não, é pênalti. Bruno chegaria na bola. Árbitro, perto do lance, apita o pênalti. Está em cima da jogada. Vou, pego a bola, vai para a marca do pênalti. Em volta dele os jogadores do Flamengo conversam e protestam. E aí vai consultar o quarto árbitro, o Flávio, e aí volta. Anula o lance e dá escanteio. A minha versão é essa. Eu, do lado, vejo o contato nele. Para mim foi pênalti", disse.

"Árbitro deu, mas aí veio toda a polêmica e ele volta atrás. Isso tudo influenciou porque precisávamos de um golzinho para passar. Fico com o apoio do torcedor, com a imagem, um futebol agressivo, de superação. Precisávamos de gols. Sabíamos que seria difícil. Levamos dois e fizemos quatro. Precisávamos de mais um, não se deu, mas esse é o caminho. É virar a página e olhar para o Brasileiro. É legal não ter muito tempo para lamentar no futebol. Temos que provar a cada três dias algo diferente. Muitas coisas estão se falando. Eu só acho que, não sei, ou as pessoas que estão gerindo o futebol têm bom senso de determinadas coisas, ou futebol vai ficar cada vez mais chato, sem prazer de ver na TV e muito menos no campo", completou.

O Santos enviou à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) um pedido de anulação da partida contra o Flamengo, pela volta das quartas de final da Copa do Brasil, na qual o time paulista venceu por 4 a 2 na quarta-feira (26), mas acabou eliminado por ter perdido o jogo de ida por 2 a 0 (veja o ofício aqui). A equipe alvinegra acusa uma interferência externa de Eric Faria, repórter da TV Globo, sobre a arbitragem de Leandro Vuaden.

Além da carta à CBF, o Santos enviará um novo ofício ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) na sexta-feira (28). Na esfera judicial, o clube pretende apresentar suas evidências que assegura ter sobre as acusações. Segundo dirigentes santistas ouvidos pela reportagem, o clube ainda está juntando imagens (câmeras de segurança do circuito interno) para tentar provar a influência externa alegada.

Segundo apurou o UOL Esporte, o Santos ainda não apresentou nenhuma imagem que comprova a suposta interferência externa do repórter da Globo. O clube alvinegro se baseia apenas em relatos ouvidos por pessoas próximas ao banco de reservas do clube para fazer a alegação em questão e ainda faz buscas em imagens internas

Em contato com o UOL Esporte, Eric Faria afirmou que não quer se pronunciar sobre o caso. No Twitter, porém, o repórter chamou de "leviana" as acusações de que teria comunicado o quarto árbitro sobre o lance.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos