Felipe Melo detona Cuca em áudio vazado e revela ofertas de outros times

Do UOL, em São Paulo

Um áudio de Felipe Melo detonando o técnico Cuca vazou na noite desta segunda-feira nas redes sociais. Em poucos minutos, milhares de torcedores compartilhavam a mensagem em que o volante chamava o técnico de mentiroso, mau caráter e covarde. Ele ainda disse que sua saída do Palmeiras é um caminho sem volta e prometeu que "rasgaria o técnico no meio" em sua entrevista seguinte. Ele confirmou a veracidade do áudio em entrevista à ESPN Brasil.

Felipe disse que tem uma lista de interessados: Corinthians, Internacional, São Paulo, Grêmio, Atlético-MG e Flamengo. O volante ressalta que essa é a melhor hora para ele ir a Gávea, sua equipe de coração.

"Aqui não tem jeito, já era. Com esse cara (Cuca) eu não trabalho. Esse cara é covarde, mau caráter, mentiroso. Falou uma coisa e liga para a imprensa para falar um monte. Quando eu falar vou rasgar ele no meio. Agora vamos ver", iniciou o jogador.

"Confesso que tem vários clubes interessados, vários. Corinthians, Inter, São Paulo, Grêmio, Atlético-MG, Flamengo. Todo mundo está interessado. Agora, o negócio foi ontem. Creio que agora vão clarear as coisas. Presidente quer conversar comigo e falou: "vamos ver se a gente faz alguma coisa e tal". Mas com esse cara (Cuca) eu não fico. A torcida veio contra, então eles estão doidinho. Vamos ver, parece que estamos conversando com Flamengo aí. Se o Flamengo realmente quiser, esse é o momento. Nunca esteve tão fácil", completou.

Felipe Melo foi afastado na noite da última sexta-feira do Palmeiras após uma conversa do técnico com o jogador. Ele não jogou contra o Avaí e ainda não completou cinco jogos no Brasileirão, o que o torna elegível para uma transação para outro clube da Série A.

Na versão oficial dada por Cuca, Felipe foi afastado por questões técnicas e táticas e que não houve desentendimento. O técnico apenas admitiu que seria difícil deixa-lo no banco e que resolveu liberar o atleta para seguir sua carreira em outro clube. Na entrevista à ESPN, Felipe explicou a sua versão da história sobre o áudio.

"O áudio é meu. Não lembro com quem eu falei. Por mais que eu tenha tido esse problema eu comemorei o aniversário da minha esposa e não poderia deixar de comemorar. Esqueci os problemas, mas é normal em uma situação como essa. E eu não queria fazer que minha esposa e meus filhos sofressem com esse problema. Tomei uma champanhe a mais, comemorei com ela e nem lembro de quem falei. Tive oferta de dois clubes turcos, que não o Galatarasay e recusei. No Brasil não tive oferta", afirmou.

"Falei em um momento triste, de coração partido. Eu achava que em respeito ao Palmeiras eu não deveria falar, mas como esse áudio vazou eu resolvi falar com vocês aqui", completou.

O problema é que a decisão foi tomada sem que jogador e clube negociasse uma rescisão. Com o impasse, Felipe Melo ainda treinará no Palmeiras enquanto não achar um novo time.

O jogador disse que se reapresentará normalmente na terça-feira pela manhã, conforme o programado, uma vez que ela ainda está sob contrato da equipe paulista. Sem ser tão ofensivo quanto no áudio, ele admitiu o incidente com Cuca e fez questão de afirmar que não teve problema com nenhum jogador.

"Isso são versões. Em nenhum momento nestes sete meses eu tive nenhum atrito com nenhum companheiro. E me senti muito querido depois do acontecido, quando me falaram que não faria parte dos planos. A maioria dos jogadores falou comigo, a outra parte também mandou mensagem. Cobro, cobrei e fui cobrado. Mas dentro de uma lógica, dentro do que é esperado no futebol. Mas errei naquele dia, porque falei alguma coisa contra o Cuca", admitiu.

"Dois dias depois (da eliminação diante do Cruzeiro), nós nos reunimos, conversamos com presidente, todo grupo e com o treinador e naquele dia eu pedi desculpas. Eu nunca tinha passado por isso na minha carreira, nunca tive desavença com treinador, é muito novo para mim. Fiquei muito abalado e abatido na derrota contra o Cruzeiro. Queria ser campeão da Copa do Brasil e errei. Perante ao grupo, perante à diretoria, eu pedi desculpas e olhei nos olhos do Cuca. Naquele exato momento ele me desculpou, apertou a mão e agora diz que não trabalharia mais comigo", afirmou.

"Em nenhum momento eu quis assumir o comando de nada. Eu sou o comandado e não o comando. Eu chego lá todos os dias para trabalhar. Fico triste por essas versões que vieram à tona, porque não procedem". 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos