Santos contesta multa e diz que venda de T. Maia ainda não foi concluída

Bruno Thadeu e Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

  • Twitter/Divulgação

    Volante Thiago Maia já foi apresentado como jogador do Lille, da França

    Volante Thiago Maia já foi apresentado como jogador do Lille, da França

O Santos contestou decisão judicial que impôs multa diária de R$ 30 mil para atraso no depósito de valor que pertenceria ao fundo que alega ter porcentagem nos direitos do volante Thiago Maia. À Justiça, o time da Vila informa que a transferência ainda não foi sacramentada e que, portanto, não poderia haver cobrança de multa diária por não recolhimento de parte da venda.                       

O departamento jurídico do Santos reitera que, apesar de Thiago Maia ter se apresentado ao Lille, da França, ele ainda está registrado pelo clube na Federação Paulista de Futebol (FPF) e na Confederação Brasileira de Futebol (CBF). O clube paulista, inclusive, anexou ao processo a atualização do BID (Boletim Informativo Diário) para comprovar que a transferência não foi concluída. O UOL Esporte confirmou nesta segunda-feira que o jogador ainda segue vinculado ao clube.

"Relativamente ao depósito judicial, o clube reitera todos os relevantes fundamentos da defesa e do agravo regimental os quais evidenciam ser infundada a liminar concedida, obtemperando, entretanto, não haver ocorrido, até o presente momento, a transferência do atleta, como prova a certidão do BID, juntado à contestação e agora repetido", alega o clube no processo.

"Por conseguinte, não há que se falar em descumprimento de ordem proferida nestes autos. A sanha, a cupidez da requerente acaba por obnubilar o juízo! 4.Vale, ainda, reiterar a impossibilidade de concessão de tutela de urgência de cunho condenatório quando a medida principal exibe natureza declaratório", completa.

Na quinta-feira, a Justiça determinou que o Santos pague multa de R$ 30 mil pelo atraso no repasse da venda do volante. A decisão judicial ocorreu após pedido do jurídico da DLX Sports, que cobra 28% da venda do jogador ao Lille, da França. A transação foi concretizada em 14 milhões de euros (R$ 51 milhões).

O Santos não reconhece a porcentagem da DLX Sports em relação aos direitos econômicos de Thiago Maia. O clube paulista, inclusive, ignorou a empresa na renovação contratual do jogador em 2015.

No último contratado assinado entre Santos e Thiago Maia, a diretoria santista concedeu 30% dos direitos econômicos ao próprio jogador. A empresa de Juan Figer, ex-agente do atleta, ficou com 10%. O clube, por sua vez, detinha os 60% restantes.

A venda de Thiago Maia também causou revolta entre os grupos oposicionistas do presidente Modesto Roma. Eles alegam que o clube paulista vendeu o jogador por valor abaixo do mercado e ainda exagerou nas comissões para empresários.

Na verdade, o Santos pagou 8% de comissão ao empresário do jogador, Giuliano Bertolucci. Isso porque o clube deu preferência ao agente na intermediação da venda do jogador devido a um empréstimo de R$ 6 milhões de Bertolucci ao Santos, referente a compra do meia-atacante Vladmir Hernández.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos