Impedido de atuar por "novela Ábila", meia fica fora de treinos do Cruzeiro

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Divulgação/Sport Boys

    Messidoro, meia-atacante do Boca Juniors, assinou com o Cruzeiro em 20 de julho passado

    Messidoro, meia-atacante do Boca Juniors, assinou com o Cruzeiro em 20 de julho passado

Alexis Messidoro está em Belo Horizonte há uma semana. Porém, não esteve em campo durante os treinamentos comandados por Mano Menezes neste período. Envolvido na negociação que levou Ramón Ábila ao Boca Juniors, o meia-atacante de 20 anos ficará treinando separadamente na Toca da Raposa II até o fim da novela na negociação do centroavante.

A ausência de acordo entre o time da Bombonera e o Huracán, antiga equipe do atacante, impede que o jovem se torne opção para a comissão técnica.

De mãos atadas, o Cruzeiro impede que Messidoro inicie os trabalhos ao lado dos companheiros de time. O risco de o atleta se lesionar e não haver um desfecho positivo nas conversas faz com que o clube mineiro se proteja e não o deixe exposto nas atividades.

Sem a possibilidade de treinar com os futuros companheiros de elenco, o argentino faz trabalhos solitários nas instalações da Toca da Raposa II. Ele é acompanhado pelos preparadores e costuma permanecer na academia.

O curioso é que o imbróglio envolvendo a venda definitiva de Ramón Ábila já dura 11 dias. Messidoro assinou contrato com os mineiros em 20 de julho, último dia da janela de transferências internacionais no Brasil. Desde então, ele foi à Argentina, providenciou a mudança, passou por exames médicos e já estaria à disposição de Mano, não fosse a discordância entre as diretorias de Boca Juniors e Huracán.

Nessa segunda-feira (31), Adrián Ruocco, empresário de Ramón Ábila, chegou a Buenos Aires para intermediar as conversas entre as partes. A expectativa é que o agente do jogador de 27 anos consiga encontrar um consenso.

Entenda o caso
O Cruzeiro aceitou liberar Ramón Ábila em troca do empréstimo de Alexis Messidoro e do pagamento da dívida de 1,5 milhão de dólares (R$ 4,64 milhões na cotação atual) com o ex-clube do jogador. Desta forma, o Boca Juniors adquiriria 50% dos direitos econômicos do atleta.

Dono do restante dos direitos, o Huracán quer a manutenção de uma cláusula que obrigava o time mineiro a adquirir o seu percentual por 4 milhões de dólares (R$ 12,38 milhões). O Boca aceita emprestar jogadores à antiga equipe do atleta e deixá-la com 50% dos direitos, o que não agrada ao presidente Alejandro Nadur. O fato se arrasta, mas deve ter um desfecho nos próximos dias.

Caso não haja acordo, Messidoro retorna à Bombonera e Ramón Ábila volta à Toca da Raposa II para defender as cores do Cruzeiro.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos