Santos deve usar caso de volante do Bayern por verba em transação de Neymar

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

  • Pedro Ladeira/Folhapress

    Santos trabalha para lucrar com possível transferência de Neymar ao PSG, da França

    Santos trabalha para lucrar com possível transferência de Neymar ao PSG, da França

O departamento jurídico do Santos já trabalha para não ser surpreendido e receber como clube formador na venda do atacante Neymar para o Paris Saint-Germain (FRA). A estratégia é utilizar casos similares, aprovados pela Fifa, caso não receba o pagamento do mecanismo de solidariedade, criado pela entidade para os clubes formadores.

O principal caso levantado é o do volante Javi Martínez, negociado pelo Athletic Bilbao (ESP) com o Bayern de Munique (ALE), em 2012. A transferência foi concretizada pelos alemães com o pagamento da multa contratual de 40 milhões de euros.

O Osasuna (ESP) exigiu cerca de 800 mil euros na época por participar da formação do meio-campista. Mesmo com um valor menor se comparado ao de Neymar, as partes relutaram a pagar por se tratar de uma negociação com o pagamento de multa, quebra unilateral de contrato, mas a intervenção da entidade deu ganho ao clube.

Martínez é só um dos casos apurados pelos advogados do clube. O Santos já conseguiu situações semelhantes em 2005, 2015 e 2016. Em todos estes o Tribunal Arbitral do Esporte (TAS) e a Fifa não identificam as partes envolvidas.

O sinal de alerta na Vila Belmiro se deu por uma informação divulgada pelo UOL Esporte. A negociação de saída de Neymar do Barcelona (ESP) está sendo estruturada para que não seja pago o percentual ao Santos como time formador. A tese dos clubes envolvidos no negócio é que pagamento de multa não é venda e portanto não obriga o repasse ao percentual de solidariedade.

A multa de Neymar foi de 222 milhões de euros (R$ 823,6 milhões). Pela legislação de status e transferência de atletas, o clube formador tem direito tem direito a até 5% do total de acordo com um cálculo por idade em que ficou no time.

O Santos alega que ainda não faz contas de clube formador para saber o quanto pode receber com a transferência de Neymar. No entanto, caso queira receber uma "bolada" maior, o clube paulista terá que juntar provas para convencer o mecanismo de solidariedade da Fifa.

Explica-se: o cálculo de mecanismo de solidariedade da Fifa começa aos 12 anos, mas na legislação brasileira, o atleta só pode ser registrado por um clube a partir dos 14 anos.

O Santos pode receber uma indenização entre R$ 25 milhões e R$ 32 milhões. Vai depender se o clube conseguirá provar que o atacante atuou nas categorias de base entre os seus 12 e 13 anos.

Revelado pela Portuguesa Santista, Neymar chegou ao Santos aos 12 anos, em 2004. A indenização da Fifa no mecanismo de solidariedade possui pesos diferentes: 0,25% em cada um dos quatro primeiros anos e 0,5% nos anos seguintes.

Necessitando fazer caixa no segundo semestre, o Santos acertou a venda do volante Thiago Maia ao Lille (FRA) por 14 milhões de euros (R$ 51 milhões). O clube, entretanto, tem direito a 60% (cerca de R$ 31 milhões), menos daquilo que pode receber com Neymar.

Após o pagamento da multa, feita nesta quinta-feira, legalmente o clube espanhol tem até 30 dias para fazer o repasse do valor.

A relação entre Barcelona e Santos é conturbada. O time paulista já entrou com uma ação na Fifa contra o espanhol para exigir mais dinheiro da transferência de Neymar realizada em 2011. E a atual diretoria santista entende que o clube não recebeu tudo a que tinha direito, enquanto os espanhóis avaliam que atuaram de forma correta ao dar um pagamento maior à empresa do pai de Neymar. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos