Técnico que comandará Neymar acumulou atritos com elenco em 1º ano no PSG

Do UOL, em São Paulo

  • Franck Fife/AFP Photo

    Unai Emery vai para sua segunda temporada no comando do PSG

    Unai Emery vai para sua segunda temporada no comando do PSG

Depois de passar quatro temporadas no Barcelona, já adaptado ao time e à cidade, Neymar optou por uma reviravolta na carreira: vai defender o Paris Saint-Germain. Em um negócio de 222 milhões de euros, o maior da história do futebol, o jogador brasileiro vai mudar de time, de país, de companheiros... e de treinador. Em seu novo time, ele será comandado por Unai Emery, que, em seu primeiro ano na França, acumulou atritos com alguns de seus principais jogadores.

Tricampeão da Liga Europa pelo Sevilla, o espanhol Emery teve resultados abaixo do esperado em sua temporada de estreia no PSG. Foi vice-campeão francês, oito pontos atrás do Monaco, quebrando uma sequência de quatro títulos nacionais seguidos; e acabou eliminado nas oitavas de final da Liga dos Campeões pelo próprio Barcelona, levando 6 a 1 no Camp Nou, com show de Neymar, após vencer o jogo de ida em casa por 4 a 0.

Durante toda a temporada, Emery negou que o clima do PSG fosse ruim. Mas a má gestão de vestiário foi constantemente apontada pela imprensa francesa como um dos problemas do treinador e um dos motivos pelos quais a direção considerou seriamente dispensá-lo após a eliminação diante do Barça.

Neymar chega ao PSG: "É mágico!"

O primeiro problema apareceu em setembro. O meia Hatem Ben Arfa, aposta do PSG na janela de transferências, começou a temporada com moral com Emery, mas sua postura pouco interessada logo irritou o treinador. Em um treino, ele cobrou mais empenho do atleta e, segundo o jornal L'Équipe, gritou: "Você não é o Messi".

Ben Arfa perdeu espaço no time e, no mês seguinte, Emery entrou em nova polêmica, desta vez com um jogador fundamental: o meio-campista Marco Verratti. O italiano saiu de campo muito irritado após ser substituído no segundo tempo de um clássico contra o Olympique de Marselha e foi filmado dizendo: "Ele me disse que não sou bom". Depois, o atleta colocou panos quentes no episódio e afirmou que a convivência com o treinador era boa.

Os próximos a entrarem em atrito foram Di María e Jesé, em dezembro. Segundo a rádio RMC, até o presidente Nasser Al-Khelaifi teve que intervir em uma forte discussão entre Emery e Di María no vestiário após uma derrota para o Guingamp. No jogo seguinte, o argentino ficou fora até do banco – de acordo com o clube, por um desconforto muscular.

Já Jesé foi criticado publicamente pelo treinador em uma coletiva. Emery disse que o atacante espanhol estava em um nível abaixo dos colegas – inclusive do encostado Ben Arfa. Não demorou para o jogador ser emprestado para o Las Palmas até o fim da temporada.

Por fim, em março deste ano, o lateral direito Serge Aurier levou quase 10 minutos para entrar em campo após ser chamado por Emery em um duelo contra o Lorient. O jornal italiano Gazzetta dello Sport afirmou que a má vontade do marfinense foi influenciada por uma declaração do treinador após o 6 a 1 para o Barça: ele teria dito no vestiário que o time espanhol tinha jogadores "mais decisivos" e "acostumados a ganhar coisas importantes".

Tendo uma relação estreita com o elenco ou não, Emery recebeu uma nova oportunidade do PSG e será o comandante da equipe na temporada 2017/18. E ganhou um dos melhores jogadores do mundo, que chega como o mais caro da história e com status de estrela absoluta. Se, com Neymar, ele entregar os resultados com que os investidores do clube sonham, todo o resto será esquecido.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos