Zé Ricardo é mantido no Fla, mas admite insatisfação com momento do time

Pedro Ivo Almeida

Do UOL, no Rio de Janeiro

Apesar de toda pressão após mais um tropeço, Zé Ricardo segue como treinador do Flamengo. 

Enquanto o técnico concedia entrevista coletiva após a derrota por 2 a 0 para o Vitória na Ilha do Urubu e nem sequer mencionava uma possível demissão, o diretor-geral do Flamengo, Fred Luz, afirmou brevemente: "Ele está aí, o trabalho segue".

O presidente do clube, Eduardo Bandeira de Mello, por sua vez, preferiu o silêncio. Mesmo acostumado a entrevistas antes e depois dos jogos, ele se calou e deu o tom de incertezas no clube, mesmo em uma entrevista onde Zé Ricardo se esforçava em olhar para o futuro.

"Precisamos juntar os cacos, olhar para frente, seguir o trabalho", disse o treinador, despistando qualquer sinal de saída do cargo.

"Não houve nenhuma reunião. O Presidente sempre vai ao vestiário. Fizemos nossa corrente, falamos rápido e vim para cá", explicou Zé, minimizando a presença de Bandeira de Mello no local após a partida.

O resultado levou o Flamengo ao terceiro jogo seguido sem vitória no Campeonato Brasileiro - nos últimos sete jogos pela competição, apenas uma vitória. A série deixou o clube carioca distante da briga pelo título. O time rubro-negro figura na quinta colocação, com 29 pontos, 18 a menos que o líder Corinthians.

"A gente vinha fazendo jogos e os resultados não aconteciam, mas tínhamos uma performance boa. Hoje não tivemos uma boa atuação e isso foi determinante. É uma sequência ruim, talvez hoje tenha saído um pouco do nosso controle. [Agora] é olhar para frente e trabalhar", afirmou.

Pedro Ivo Almeida/UOL

Durante o jogo, a torcida do Flamengo protestou contra o time e ecoou gritos de "fora, Zé Ricardo". O treinador, porém, afirmou que os protestos não vão alterar seu pensamento sobre a equipe.

"Isso nunca norteou meu trabalho e nunca vai nortear. Tenho as minhas convicções e continuamos trabalhando em cima de treinamento. Se não tiver confiança, não pode estar num clube como o Flamengo. Encaro sempre as dificuldades como oportunidade de crescimento", afirmou.

"Eu respeito a torcida do Flamengo, que está no seu direito de cobrar. Estamos chateados, insatisfeitos por não dar retorno à nossa torcida. Hoje não aliamos performance e resultado", disse.

Zé Ricardo está no comando do Flamengo desde maio de 2016, quando assumiu interinamente no lugar de Muricy Ramalho. Dois meses depois, o então auxiliar foi confirmado como técnico efetivo do clube carioca.

Copa do Brasil e Sul-Americana 'seguram' Zé

Sob seu comando, o Flamengo terminou na terceira colocação do Campeonato Brasileiro de 2016. Neste ano, porém, a equipe parou ainda na fase de grupos da Libertadores e vê situação delicada no Brasileiro, apesar de ter um dos maiores investimentos da competição.

O clube ainda tem as disputas da Copa do Brasil e da Copa Sul-Americana pela frente. Os dois torneios em formato mata-mata, por sinal, ajudam a manter o comandante do time rubro-negro. Na visão dos dirigentes do futebol do Flamengo, uma troca agora só deixaria o ambiente mais tumultuado às vésperas de duelos decisivos nas duas competições.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos