Guerra se aposenta da seleção da Venezuela por "falta de motivação"

Do UOL, em São Paulo

  • USA Today Sports / Bill Streicher

 A seleção de futebol da Venezuela anunciou que Alejandro Guerra não atuará mais pelo país. A notícia ainda veio com explicação do próprio jogador, que disse não estar motivado como antigamente para atuar com a camisa do futebol país.

A seleção da Venezuela está em último lugar na tabela das Eliminatórias Sul-Americanas. "Eu pensei muito com minha família, meu povo, e o que mais me motivou foi pensar em um bem para a seleção, meu futuro também, porque meu futuro agora não está na seleção, porque eu tenho uma idade em que a motivação de jogar as eliminatórias é de poder chegar a um mundial e eu já não tenho essa motivação", disse Guerra.

"Outra razão é de ver bem o trabalho que está sendo feito a comissão técnica com a seleção principal e a sub-20 e minha decisão confirma que ajuda também um futuro imediato da seleção e isso está sendo bem feito", ressaltou.

Alejandro Guerra já havia pedido dispensa recentemente da seleção venezuelana para seguir os treinos no Palmeiras. Ele se recuperava de lesão e entrou em campo dias depois do jogo de seu país em amistosos.

O jogador do Palmeiras enfrentou dificuldades com o ritmo de jogos nos últimos anos no Atlético Nacional e, desde quando chegou ao clube brasileiro, cumpre uma rotina diferente de treinos para fortalecimento e manutenção da boa forma.  O meio-campo não deve atuar por 90 minutos na quarta-feira, pela Libertadores, justamente por ter dores na coxa.

O palmeirense também admitiu que não teve bom rendimento na seleção de seu país como jogador. "Eu sei que como jogador eu não tive um rendimento excepcional na seleção. Penso que quando estive em meu melhor momento, não fui convocado, sempre respeitei a decisão, mas depois tive mais continuidade. O momento mais bonito foi a Copa América Centenário de 2016, quando se fez um grupo onde estávamos unidos, uma família e esses dias lá concentrados foram os melhores", relembrou. 

Guerra ainda citou a situação polícia na Venezuela e afirmou que o futebol é um jeito de unir o país. "Não é segredo pra ninguém o que se passa em nosso país e a seleção é um bom espaço para unir as pessoas. Com vitórias nas partidas que nos restam nas Eliminatórias, e digo "nos", porque me sinto parte da seleção mesmo não estando. Venezuela sempre tem que estar unida e empurrando para um mesmo lado e não há nada melhor que essas partidas para um país e tomara que possamos sair desse momento, sempre tendo em consideração que as coisas se sairão bem". 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos