Emerson Sheik admite um arrependimento na carreira: "minha documentação"

Do UOL, em São Paulo

  • Luciano Claudino/Código19/Estadão Conteúdo

Emerson Sheik sempre foi visto como um personagem polêmico por falar o que pensa e provocar adversários dentro de campo. No entanto, o jogador admitiu nesta terça-feira em entrevista à Rádio Globo que se arrepende apenas de uma situação relacionada a sua carreira.

"Teve uma passagem na minha vida que eu me arrependo, embora não tenha tido 100% de culpa, que foi o lance da minha documentação. Eu jamais posso concordar com uma situação dessa, minha mãe sofreu, minha família no geral sofreu muito com tudo isso. O empresário me chantageou", diz o jogador, que chegou a ser detido em 2006 no Aeroporto Tom Jobim, por conta de uma identidade falsa em que datava o seu nascimento em 6 de dezembro de 1981 (ele nasceu em 6 de setembro de 1978).

Aos 38 anos, o atacante acredita que algumas declarações polêmicas em sua carreira, inclusive contra a CBF, foram mais positivas do que negativas. "Acho que foi bom no meu caso por eu ser um cara sincero, não ter medo de uma câmera, de um microfone e falar o que acha. Sou desse jeito, fui criado para colocar a cara para bater e acho isso bem positivo."

O jogador da Ponte Preta revela que apesar da fama de jogador esquentado, tem o respaldo do elenco e da comissão técnica do time de Campinas inclusive para ser o último a falar na preleção antes dos jogos. "Eu não sei se sou bad boy, mas as pessoas confundem verdade com polemica".

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos