"Luxemburgo me fez perder artilharia do Brasileiro", diz Marcelinho Carioca

Diego Salgado

Do UOL, em São Paulo

  • Giandalia, Paulo/TBA

    Marcelinho ao lado de Luxemburgo em 1998: título brasileiro mesmo com desavenças

    Marcelinho ao lado de Luxemburgo em 1998: título brasileiro mesmo com desavenças

O Corinthians busca uma marca inédita na história do Brasileirão: encerrar uma edição com o artilheiro do campeonato - Jô, com 11 gols, é o maior goleador após 19 rodadas disputadas e segue forte na briga. Há 19 anos, o clube esteve bem perto de acabar com esse jejum, mas viu um fator extracampo acabar com as chances.

Um desentendimento entre Marcelinho Carioca e Vanderlei Luxemburgo resultou no afastamento do meia-atacante na campanha do título corintiano em 1998. O fato dificultou a busca pelo topo do ranking de artilheiros. O jogador, que ficou fora de três jogos, somou 19 gols no campeonato e viu o santista Viola, com 21, terminar como goleador máximo da competição.

Quase duas décadas depois, Marcelinho crava que teria alcançado a marca naquele Brasileirão não fosse a decisão do treinador em deixá-lo fora da equipe. "Em 1998, eu teria sido artilheiro do Campeonato Brasileiro. Com certeza absoluta. Eu fiquei fora esses jogos todos", disse o ex-jogador em entrevista por telefone concedida ao UOL Esporte.

O afastamento de Marcelinho ocorreu no mesmo dia de um clássico entre Corinthians e São Paulo, válido pela 21ª rodada da primeira fase, no Morumbi. De acordo com explicação dada por Luxemburgo à época, o jogador havia cometido "um equívoco ao não aceitar ter sido cobrado".

Segundo Marcelinho, houve uma discussão na concentração do time alvinegro com um dos seguranças na véspera do jogo. No dia seguinte, Luxemburgo decidiu afastá-lo após uma conversa diante do elenco.

EVELSON DE FREITAS/ FOLHA IMAGEM
Marcelinho ergue a taça do Brasileiro 1998

"Ele estava tentando achar um motivo para pegar no meu pé. Houve uma discussão com o segurança e eu retruquei. Nós discutimos no corredor [do hotel] porque ele ficava tomando conta de todo mundo lá, mas ninguém fazia nada de errado. No almoço, o Vanderlei disse que eu estava fora", explicou.

"Estranho o cara tirar o artilheiro do time, o craque do Brasileiro. Não tinha motivo. Perdi a artilharia por isso. Fiz gols em todas as finais, com certeza teria sido artilheiro, sem tirar os méritos do Viola, que conquistou isso. Mas eu teria sido artilheiro", completou Marcelinho, que também foi barrado da seleção brasileira - Luxemburgo acumulou os cargos no segundo semestre de 1998.

A reportagem do UOL Esporte tentou entrar em contato com Vanderlei Luxemburgo, mas a assessoria do treinador do Sport disse que o assunto já foi abordado em outras oportunidades e, por isso, não seria comentado novamente.

Como Marcelinho poderia chegar à artilharia

Em grande fase no Corinthians, Marcelinho comandou o time alvinegro na conquista do Campeonato Brasileiro de 1998, com gols decisivos e extrema regularidade na bola parada. Nas finais contra o Cruzeiro, por exemplo, o meia-atacante foi às redes nos três jogos.

Com 19 gols ao fim da competição, Marcelinho viu Viola, do Santos, adversário direto na semifinal, superá-lo por dois gols. A diferença, entretanto, poderia ter sido tirada se o corintiano estivesse em campo nos três jogos em que ficou afastado.

Chance não faltaria. De fora, Marcelinho viu Rincón marcar dois gols de pênalti diante do Vitória (3 a 2), no Barradão, e América-RN (2 a 1), no Pacaembu, nas duas últimas rodadas da primeira fase. Contra o São Paulo, o Corinthians venceu por 2 a 1, mesmo sem Marcelinho, que disputou 28 jogos na campanha do título.

Ormuzd Alves/Folhapress
Marcelinho celebra gol marcado na decisão com o Cruzeiro, no Mineirão

"Existe tristeza, não mágoa, essa palavra é muito forte. Tristeza porque ele me fez perder a artilharia do Brasileiro. Se estou na história como quinto maior artilheiro da história do clube e dez títulos, imagina se tivesse sido o único artilheiro do Corinthians", disse.

Logo depois do término da primeira fase, Marcelinho voltou a ser relacionado. Diante do Grêmio, nas quartas de final, Luxemburgo escalou o camisa 7 entre os titulares no duelo de Porto Alegre - o Corinthians venceu por 1 a 0, gol de Rincón.

"Como ele [Luxemburgo] sabia que o time estava classificado [com antecedência] e estava bem, ele quis mostrar força [ao afastá-lo]. Tanto que não teve peito de me deixar de fora das quartas de final contra o Grêmio. Se tivesse peito mesmo, teria me deixado de fora", frisou o ex-atleta.

Após ver a chance escapar em 1998, Marcelinho diz que agora torce pelo atual artilheiro do Corinthians. "Torço para que o Jô consiga essa façanha. Tem tudo para isso, ainda mais agora que ele está focado, competitivo e centrado", ressaltou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos