Diminui ou aumenta pena? Vasco definirá futuro em relação a São Januário

Bruno Braz

Do UOL, no Rio de Janeiro

A manhã desta quinta-feira (10) será decisiva para o Vasco no Campeonato Brasileiro mesmo sem a equipe ter um jogo agendado para esta data. Longe dos gramados, o clube terá seu futuro definido em relação a São Januário na audiência do Pleno do Superior Tribunal de Justiça Desportiva que acontecerá a partir das 11h. O órgão julgará os recursos tanto do Cruzmaltino quanto da Promotoria em relação a plena aplicada em primeira instância da perda de seis mandos de campo e, dependendo da decisão, pode diminuir ou aumentar a sentença.

De acordo com as regras da CBF, os vascaínos precisam sediar os jogos da punição a pelo menos 100 km do local de origem e dentro do estado do Rio de Janeiro. Com isso, o clube escolheu o estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda (RJ), para mandar suas partidas.

Até o momento, o Vasco já teve dois duelos por lá, mas na semana passada o STJD considerou o empate em 0 a 0 com o Santos, no estádio Nilton Santos (Engenhão), como parte da pena. Na ocasião, o Cruzmaltino já tinha sofrido a interdição de São Januário por intermédio do Ministério Público, mas ainda não havia ocorrido o julgamento na esfera esportiva. Com isso, o jogo se deu com portões fechados.

Desta maneira, até a sessão desta manhã, restam três partidas a serem cumpridas da pena, mas há uma confiança no departamento jurídico vascaíno de que esta sanção seja diminuída ou até mesmo sanada.

Desde o período da interdição, o clube tem trabalhado por melhorias para atender aos padrões exigidos pelos órgãos competentes. A diretoria, por exemplo, se reuniu com a Associação de Cronistas Esportivos do Rio (Acerj) e estabeleceu maneiras de melhorar a segurança dos jornalistas em dias de partidas, algo tido como uma das prioridades do STJD. A partir disso, criou-se uma barreira metálica que separa as cabines de transmissão da arquibancada. Uma inspeção da CBF somada à laudos do Corpo de Bombeiros fizeram com que São Januário fosse aprovado e o Superior Tribunal desinterditou o estádio nesta terça.

Vice de futebol, Eurico Brandão, filho de Eurico Miranda, acredita que o Vasco poderia estar melhor na tabela caso não estivesse punido:

"Não estar jogando em São Januário foi o fator determinante pro Vasco não terminar no G-6. Nós recorremos ao tribunal, esperamos a absolvição. Fomos os mais prejudicados por sanções. Nós precisávamos construir a proteção de cabines de imprensa, que já fizemos, e o laudo da CBF, que já temos".

Ou seja, caso os advogados do Vasco consigam a diminuição máxima da punição nesta quinta-feira e o Ministério Público retire a interdição da "Colina Histórica", o clube já poderá voltar a mandar jogos na sua casa no dia 10 de setembro, contra o Grêmio, pela 23ª rodada.

Neste domingo, o Cruzmaltino já tem agendado o confronto com o Palmeiras mais uma vez em Volta Redonda e, em seguida, enfrenta fora de casa o Bahia e o Fluminense.

A pena foi imposta pelo STJD em função da barbárie ocorrida no clássico entre Vasco e Flamengo, em São Januário, com cenas de agressão, violência e depredação ao patrimônio.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos