Tite testa o quinto meia diferente e fecha o cerco para goleiros na seleção

Dassler Marques e Pedro Ivo Almeida

Do UOL, em São Paulo e no Rio de Janeiro

Depois de acenar a possibilidade de fazer muitos testes, já que a seleção brasileira tem a vaga assegurada na Copa do Mundo, Tite apresentou uma lista mais conservadora no que diz respeito a modificações para os compromissos com Equador (31 de agosto) e Colômbia (5 de setembro). Cássio e Luan, as novidades da relação, mostram onde residem as principais dúvidas do treinador neste momento. 

Depois de testar Diego Alves e Weverton nos últimos dois amistosos, Tite se voltou a dois nomes frequentes em suas relações: Alisson, que é o titular do gol e começa a temporada da Roma-ITA nesta condição, e o jovem Ederson, valorizado pela ida ao Manchester City-ING e presente pela terceira lista consecutiva na seleção. Ambos são jogadores em alta cotação com Taffarel, o preparador de goleiros desde os tempos de Dunga.

A novidade da posição passa a ser Cássio, que ganhou elogios do antigo e novamente treinador dele. A oscilação no desempenho recente de Weverton acendeu o alerta para se buscar alternativas no gol. Taffarel se dividiu na análise entre o santista Vanderlei e o ídolo corintiano, que acabou eleito nessa disputa.

Em temporada marcada por regularidade e com a confiança mais do que comprovada de Tite, ele passa a ser o favorito para seguir na posição, desde que confirme esse desempenho. É possível que, em um dos dois jogos pelas Eliminatórias, Alisson dê lugar a um dos suplentes. 

Luan será o quinto meia diferente testado pelo treinador para a mesma vaga

Robert Cianflone/Getty Images
Coutinho é outro que pode, no fim das contas, virar também o meia reserva

Diferentemente do gol, em que talvez se aproxime de uma linha a ser mantida, há uma posição totalmente em aberto no meio. A reserva de Renato Augusto já foi preenchida por Lucas Lima (três listas), Oscar (uma), Rodriguinho (uma) e Diego (uma). Anunciado pelo treinador como meio-campista, Luan é quem irá ocupar esse espaço no próximo grupo. Se excluída a convocação exclusiva para o futebol nacional, em janeiro, essa será a primeira chance dele com Tite.

Dos outros quatro concorrentes, nenhum conseguiu impressionar o chefe nos treinamentos nem conseguiu minutos significativos com a camisa da seleção. Um panorama diferente ao de Giuliano, que atua em região similar do campo, como reserva de Paulinho. Já entrou em momentos importantes, tem a confiança do chefe e se mantém no grupo pela sexta convocação. 

Pouco notado nesse cenário, Philippe Coutinho também é uma figura importante. Titular da ponta direita, ele deve ser cada vez mais testado também como alternativa de jogo pela faixa central, na posição de Renato Augusto. Jürgen Klopp indicou que irá utilizar Coutinho assim e, nos últimos amistosos, foi possibilidade que Tite colocou em prática. Quando isso ocorre, é Willian quem ganha espaço para a vaga que se abre no time. 

Em demais posições, Tite só dá sequência a nomes já experimentados

Ueslei Marcelino/Reuters
Rodrigo Caio será um dos reservas na zaga

Daniel Alves, Marcelo e Filipe Luís novamente presentes indicam que, nas laterais, pouco deverá se modificar. Fagner, que não teve atuação destacada como titular contra a Argentina, convence o chefe pela regularidade de suas atuações no Corinthians - diante do Paraguai, pelas Eliminatórias, cumpriu a missão. Sem outros laterais direitos em grande fase (Danilo, agora no City, e Rafinha, do Bayern, foram até citados), o corintiano se mantém mais uma vez. 

Convocado em cinco partidas, o zagueiro Gil deixou o grupo por esse momento e foi substituído por Rodrigo Caio. Campeão olímpico, o defensor do São Paulo é outro nome frequente em relações e teve atuação segura no amistoso com a Austrália, o que o credenciou uma nova oportunidade. Havia a expectativa de que o gremista Geromel pudesse ser lembrado pela segunda vez em uma lista oficial, mas isso não ocorreu. Marquinhos, Miranda e Thiago Silva dificilmente deixarão o grupo até o Mundial.

No meio-campo, os dois volantes do 4-1-4-1 (Fernandinho e Casemiro) foram mais uma vez repetidos, assim como os titulares das meias (Paulinho e Renato Augusto) e das duas pontas (Coutinho e Neymar). Willian é dos reservas que Tite não abre mão, e Taison é outro jogador que retorna ao grupo e que goza da confiança do treinador. Ele foi bem nos últimos dois amistosos e já está em ritmo de competição pelo Shakhtar-UCR.

A disputa pela camisa 9 se mantém entre Gabriel Jesus e Roberto Firmino, em detrimento do experiente Diego Souza e ainda de Jô, nome monitorado com atenção pelo comandante. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos