Cuca defende Deyverson em polêmica por pênalti: "Se alguém errou sou eu"

Danilo Lavieri

Do UOL, em São Paulo

  • Agência Palmeiras

    Deyverson, do Palmeiras, durante disputa de bola contra rival do Barcelona

    Deyverson, do Palmeiras, durante disputa de bola contra rival do Barcelona

A eliminação de quarta-feira, diante do Barcelona-EQU, ainda rende polêmicas no Palmeiras. Na quinta-feira, diversos torcedores invadiram as redes sociais de Deyverson para xingá-lo por supostamente ter dito não ao pedido de Cuca para que ele batesse um pênalti. 

A polêmica ficou ainda maior quando o atleta recebeu críticas de Caio Ribeiro, comentarista da TV Globo, durante participação no Globo Esporte. Nesta sexta, em entrevista coletiva, Cuca afirmou que o atacante não se negou a bater.

O comandante ainda aproveitou para defender Egídio, que bateu o sexto pênalti, errou e virou o vilão para a torcida alviverde.

"São duas coisas: o Egídio bateu o sexto porque eu determinei. Ele treinou e bateu bem. Os cinco estavam determinados e eu tinha que escolher o sexto. O Luan era o sétimo, se não me engano. Quando eu questionei como eles estavam, o Deyverson disse que estava com câimbra nos posteriores. Não se negou a bater. Mas se ele não está na condição ideal, ele não vai bater. Se tem alguém errado, sou eu. Se colocasse no papel que ele ia bater, ele ia bater e pronto. Quando ele estava com os posteriores doendo, automaticamente eu sinto que ele não está na condição de bater. Se alguém está errado sou eu", afirmou o comandante. 

O Palmeiras agora diz que vai atrás do título do 2º turno do Brasileirão e que essa será a sua meta daqui para frente. O time já foi eliminado do Paulista, da Copa do Brasil e da Libertadores e só joga os 19 jogos do Nacional até o fim do ano. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos