Milton Mendes nega atrito com atletas do Vasco: "tem que ter disciplina"

Do UOL, em São Paulo

  • Carlos Gregório Jr/Vasco.com.br

O ex-técnico do Vasco Milton Mendes negou que atritos com os jogadores foi um dos pontos que o levou à saída do time carioca no começo da semana. Segundo o treinador, é preciso ter disciplina e sua retirada do cargo se deu em comum acordo com o presidente Eurico Miranda.

"Se eu não puder chamar a atenção, então não dá. Tem que ter disciplina, tem que ter o grupo na mão. Quando se comanda 11 homens ricos tem que ter disciplina. As pessoas querem ter conflito, arrumar conflito. Pergunta pro Nenê se tem conflito. As pessoas que queriam conflito já tinham saído do Vasco", comentou o treinador em entrevista ao Seleção Sportv desta quarta (23).

Milton Mendes negou que tenha tido qualquer mal-estar com o elenco. "A minha relação com jogadores era boa. Eu fui me despedir. Se não fosse boa eu não ia despedir dos jogadores e nem eles de mim. Me mandaram mensagens. De todos os clubes que saí, foi o que mais me marcou. Mostra que a forma de trabalhar foi boa", relembrou.

O comandante admitiu, no entanto, alguns atritos, todos, segundo ele, resolvidos com clareza. "O que mais me frustra, me deixa apreensivo é o quão um jogador é sensível quando chama a atenção. Madson, pode ser. Eu chamei a atenção dele, porque no meu ponto de vista, estamos falando de Brasil que tem que mudar em todos os sentidos, com jogadores sendo mais profissionais. Eu acredito que, se você tem um intervalo de dois minutos de uma parte do treino para outra, o jogador vai sentar no chão...Pra mim isso não é profissional. Organizamos e aconteceu com o Madson e ele respondeu de forma negativa. Isso foi esclarecido. É uma chamada de atenção do pai e acabou, foi resolvido na frente de todo mundo", explicou.

Segundo Milton Mendes, a queda do Vasco no Campeonato Brasileiro se deu por conta da perda de São Januário, após conflito com a torcida.

"Se estivéssemos nosso campo, estaríamos na Libertadores. Agora por que o foco era tirar São Januário? Isso foi para desestabilizar o ambiente...talvez seja isso", comentou.

Sobre Eurico Miranda, o treinador explicou que gostou da conversa que teve com o dirigente do Vasco. "Eu tive uma conversa bacana com Eurico Miranda e ele me mostrou a posição dele e eu mostrei a minha e chegamos à conclusão que o momento do clube, com eleição próxima. Para mim foi positivo, porque conseguimos fazer coisas importantes: mudanças no plantel...a gente precisava de reforços e tivemos que buscar dentro de casa e foi o que eu fiz. Tudo que vem além disso são meras especulações".

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos