Bandeira diz que jornal foi covarde com Muralha: 'Desrespeito inadmissível'

Vinicius Castro

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Gilvan de Souza/Divulgação

    O goleiro Alex Muralha vive momento conturbado no Flamengo às vésperas de decisões

    O goleiro Alex Muralha vive momento conturbado no Flamengo às vésperas de decisões

O Flamengo se posicionou através do presidente Eduardo Bandeira de Mello sobre o editorial publicado pelo Jornal Extra nesta sexta-feira (1), no qual o veículo informou que deixará de chamar o goleiro Alex Muralha pelo apelido. De acordo com o periódico, a motivação para a mudança se deu por "precisão jornalística" após as falhas do jogador.

O mandatário não escondeu a revolta, descartou punição ao veículo em questão, mas fez duras críticas ao que considerou um desrespeito inadmissível.

"Expresso a minha tristeza e revolta. É o sentimento dos atletas e dos funcionários também. Foi um desrespeito ao atleta e ao Flamengo. É inadmissível. Já me manifesto há algum tempo no sentido de exigir respeito aos jogadores. Tenho sido até mal interpretado por isso. Nada chega perto do que aconteceu hoje [sexta-feira]. Estamos falando de um ser humano que tem família e foi vítima de uma covardia".

"Em um momento no qual todos estão empenhados em acabar com a violência no futebol isso só contribui para incitar ânimos e ações violentas. Se alguma coisa acontecer ao Alex Muralha, espero que os responsáveis se sintam tristes. Não posso admitir que o Flamengo seja achincalhado. Não vamos proibir o veículo responsável pela matéria, opiniões técnicas, nada. Todos têm o direito de dar uma opinião. Mas a quem serve essa matéria? Desestabilizar o goleiro e o grupo de jogadores às vésperas da final da Copa do Brasil. Mas é na dificuldade que surge uma união maior. Clube, jogadores e torcida", completou.

Questionado se clube ou jogador tratarão a questão na esfera judicial, o presidente destacou que aguarda uma retratação do veículo. Segundo apuração do UOL Esporte, o Flamengo já entrou em contato com as assessorias de imprensa dos jogadores informando que nenhuma solicitação do periódico será atendida até que um pedido de desculpas seja feito.

"Não avaliamos do ponto de vista jurídico. Analisamos a questão do desrespeito. Tudo foi extrapolado. Ninguém me pediu para estar aqui e o clube precisa se manifestar. É um assunto de comunicação e futebol. É óbvio que os jogadores também terão um conforto ao saber que a direção do clube está solidária. Esperamos que o mesmo veículo se posicione com relação ao que aconteceu. Seria ótimo e acho que a torcida do Flamengo gostaria de uma retratação com o mesmo destaque", encerrou.

Veja o editorial do "Extra" na íntegra:

"Em nome da precisão jornalística, o leitor do EXTRA não encontrará, a partir de hoje, a palavra Muralha relacionada ao senhor Alex Roberto Santana Rafael. Provável titular do Flamengo na final da Copa do Brasil, Alex Roberto, o ex-Muralha, mais uma vez desmoralizou o vulgo, levando um frango no jogo contra o Paraná pela Primeira Liga. Além de ter errado 100% dos lados nas cobranças de pênaltis, completando 545 dias sem defender uma penalidade. Também em nome da precisão jornalística, o EXTRA se compromete a rever sua decisão caso Alex Roberto, o ex-Muralha, volte a fazer por merecer."

Reprodução/Extra

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos