Por que talento de Mbappé prova que PSG não fez uma "loucura" por ele

Do UOL, em São Paulo

  • AFP PHOTO / FRANCK FIFE

O menino de 18 anos destaque do Monaco na temporada defenderá o PSG. No último dia da janela de transferências europeia Kylian Mbappé passou de "novo Henry" e "sensação" do ano para uma das contratações mais caras do mundo, considerada até mesmo a "segunda loucura" do clube de Paris na janela de transferências, atrás de Neymar. 

Mas, apesar da pouca idade, o talento e a personalidade de Mbappé mostrados em campo na última temporada com a camisa do Monaco e até mesmo com a seleção francesa, pela qual marcou seu primeiro gol na última quinta (31), provam que a valorização grande do francês é mais um exemplo de como estrelas estão custando alto no atual mercado. Além disso, o novo craque do PSG tem a importante a função de ser a estrela francesa em um elenco repleto de craques do futebol mundial. 

Foram 26 gols em 44 jogos na última temporada pelo Monaco e o "menino" Mbappé entrou no radar de clubes e da imprensa mundial por ter sido protagonista na campanha do Monaco na Liga dos Campeões 2016/17, quando o time chegou à semifinal da competição continental. O jogador também foi um dos destaques da na conquista do título do Campeonato Francês.

Virou "obsessão" de gigantes

Disputado por Manchester City, Real Madrid, Barcelona e outros clubes, o menino nascido na periferia de Paris, e que torce para o seu novo clube desde criança, segundo amigos, vê a carreira decolar.

Tudo poderia ter sido diferente, no entanto, Mbappé quase foi parar no Real Madrid quando ainda nem era um jogador profissional. O pai do garoto, no entanto, barrou a transferência em 2013, quando Zinedine Zidane deixou de ser o técnico da equipe de base do clube.

"Tivemos muitas reuniões com o Sr. Zidane, mas desde o momento em que se tornou o assistente de Ancelotti, pensei que ele não teria tempo suficiente para se dedicar a Kylian. Se Zidane estivesse no comando do Castilla (time B do Real), provavelmente teríamos escolhido Madri em vez do Monaco", disse Wilfrid Mbappé.

AFP PHOTO / FRANCK FIFE
Jogará ao lado de Cavani e Neymar

Em seu novo clube, além de ataque mais caro do mundo, formará um setor ofensivo de dar medo a qualquer rival. Jogará ao lado de Neymar e Cavani. Os três juntos marcaram 95 vezes na última temporada pelos seus times e tentarão ajudar o PSG a conquistar a tão sonhada Liga dos Campeões.

Restará saber quem o técnico do PSG, Unai Emery, colocará no banco de reservas para formar o trio Mbappé, Cavani e Neymar, e como o treinador fará os três atletas atuarem juntos.

Uma opção é com Mbappé jogando mais pela esquerda, Cavani enfiado na área e Neymar mais solto pelo ataque do clube francês. A outra é escalar o recém-contratado na ponta direita, no lugar de Di María.

REUTERS/Gonzalo Fuentes
O "drible" no fair play financeiro

Os valores milionários não serão computados na atual temporada por conta das regras do Fair Play financeiro. A contratação de Neymar por 222 milhões de euros fez o PSG extrapolar todos os seus gastos e colocou a Uefa e a Fifa na cola do clube por conta disso. Assim, uma manobra foi feita e Mbappé foi primeiramente emprestado.

Daqui um ano, no entanto, segundo o jornal francês "L'Equipe", o PSG pagará nada menos que 180 milhões de euros (R$ 678 milhões) para ficar com o jogador, que passará a ser o segundo mais caro do mundo, atrás apenas do companheiro de clube Neymar.

Irmão adotado como ídolo e pai treinador

Mbappé tem um irmão mais velho que também é jogador. Jirès Kembo-Ekoko é nascido no Zaire (hoje República Democrática do Congo) e foi ainda criança para Paris para morar com um tio. No novo país, Ekoko iniciou carreira no AS Bondy, time treinado por Wilfried, pai de Mbappé, que logo se tornou o guardião legal de Ekoko.

O filho adotado, 10 anos mais velho, virou uma verdadeira referência para Mbappé, que quis seguir o mesmo caminho do irmão. Conseguiu e hoje é ele quem é o ídolo de Ekoko.

Rótulo de "novo Henry"

Em 2015, quando assinou com o Monaco, Mbappé logo se destacou e passou a chamar a atenção de um antigo atleta do time: ninguém menos que Thierry Henry. Tudo por conta de recordes quebrados pelo jovem de 16 anos na equipe: foi o mais jovem a defender a equipe principal do Monaco e aos 17 anos desbancou Henry como o mais jovem a fazer gol pelo clube.
 

Neymar no PSG é a grande história dessa janela de transferências

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos