Coutinho supera semana triste e alivia Tite com gol e protagonismo

Marinho Saldanha e Pedro Ivo Almeida

Do UOL, em Porto Alegre (RS)

"É claro que afeta", disse Tite, categoricamente, ao comentar a situação de Philippe Coutinho na seleção brasileira em meio ao impasse sobre seu futuro no futebol europeu. Nos corredores, era grande a preocupação com o jogador. Cabisbaixo e calado, o meia do Liverpool era classificado como triste por companheiros e estafe da seleção brasileira.

Em campo, treinava normalmente e tentava interagir com os outros atletas. Coutinho, no entanto, estava longe de ser, como de costume, o parceiro extrovertido de nomes como Neymar e Gabriel Jesus.

Os contatos frequentes com familiares e representantes na Europa tiravam parte do foco do camisa 11 da seleção brasileira. Tite e comissão técnica se preocupavam com o titular da equipe.

Pouco mais de 30 minutos, no entanto, foi tempo suficiente para mudar o panorama de aflição. Se a defesa do Equador se mostrava sólida, Philippe Coutinho foi a peça que faltava para furar a retranca. Se o clima era de apreensão nos corredores e vestiários, o golaço do meia tratou de aliviar a tensão.

O jogador que recebeu propostas do Barcelona para deixar o Liverpool, mas teve todas elas negadas pelo clube inglês, decidiu a partida da última quinta-feira (31). Entrou na vaga de Renato Augusto e atuou pelo meio, como Tite gosta, "destravando" o pouco inspirado sistema ofensivo brasileiro diante do Equador. Na zona mista após a partida, não quis responder aos questionamentos da imprensa. 

Mas Neymar, um de seus melhores amigos, deu o tom da semana de aflição. "Infelizmente ao invés de ser um momento de felicidade para ele [Coutinho], para a família, está sendo um momento de angústia, decepção e tristeza. Gosto de ver ele feliz, porque além de companheiro de equipe, é um amigo que eu tenho de longa data. Ele foi recompensado com um gol hoje, foi a alegria dele e a nossa também", comentou o craque do PSG.

Se por um lado aliviou a preocupação de Tite, Coutinho agora coloca uma dúvida na cabeça do treinador: mantém a escalação do jogo na Arena do Grêmio ou lança mão do meia desde o início no duelo da próxima terça-feira (5), contra a Colômbia, fora de casa?

A resposta só deverá aparecer nos treinos do fim de semana, em Manaus, na "escala" que a seleção fará entre Porto Alegre e Barranquilla. A equipe chega à Colômbia na noite de domingo. O grupo treina no Estádio Metropolitano na segunda e encara os donos da casa no dia seguinte. Agora sem maiores tristezas ou apreensões. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos