Eleição santista terá união de rivais históricos para tentar bater Modesto

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

  • Luiz Fernando Menezes/Folhapress

    Presidente Modesto Roma deve enfrentar, no minímo, dois candidatos nas eleições

    Presidente Modesto Roma deve enfrentar, no minímo, dois candidatos nas eleições

Os grupos de oposição do Santos já se articulam para tentarem tirar o presidente Modesto Roma do poder. As eleições ocorrem em dezembro deste ano e, até o momento, o atual mandatário é o único candidato confirmado para o pleito.

Mas isso não quer dizer que Modesto não terá concorrentes. Pelo contrário, na última semana, os grupos oposicionistas já realizaram os seus eventos de lançamentos. Acredita-se que o atual presidente deve ter dois rivais nas urnas, no mínimo.

Um dos grupos foi lançado no último sábado e carrega o nome de "União Santástica". O que chama a atenção nesta possível chapa é a aliança criada entre ex-aliados de Marcelo Teixeira e Luis Alvaro de Oliveira, o Laor, rivais na década passada.

O líder do movimento e que deve ser o candidato a presidência chama-se Andres Rueda, um empresário multimilionário do mercado de telecomunicações e que integrou o Comitê Gestor de Modesto Roma no início da gestão do atual presidente santista.

Rueda ficou conhecido no clube por comprar os 10% dos direitos econômicos do meia Lucas Lima no início de 2015. Aliás, são os únicos 10% que o Santos possui do camisa 10. O empresário recebeu o dinheiro de volta e não cobrou juros.

Especula-se dentro do movimento de Ruedas que o seu vice-presidente nas eleições deve ser o executivo Walter Schalka, homem forte de Laor em 2010. No entanto, outros nomes correm por fora – casos de Nabil Khaznadar, candidato que ficou em último lugar na última eleição, pois integrava o grupo de Odílio Rodrigues, e José Renato Quaresma, ex-integrante do Comitê Gestor de Modesto Roma.

Dias antes do lançamento da União Santástica, os ex-candidatos a presidência do Santos na última eleição, Orlando Rollo e José Carlos Peres, lançaram o seu movimento de oposição e possível chapa eleitoral, chamado "Somos todos Santos".

Apesar do "quadro eleitoral" considerado diferente de 2014, este grupo está confiante pois exibe a somatória dos votos que receberam na eleição passada como indicação que podem derrubar Modesto Roma do poder. Modesto venceu o pleito com 1.321 votos, à frente de José Carlos Peres, com 1.139. Já Orlando Rollo ficou na quarta colocação, com 855 votos. A somatória dos votos venceria Modesto na última eleição.

Rollo e companhia aguardam possíveis "rachaduras" de outros movimentos para realizarem outras composições. Inicialmente, Peres deve ser o candidato a presidência, enquanto Rollo será o vice na chapa.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos