Sassá leva bronca, mas segue mais prestigiado que antecessor no Cruzeiro

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

  • © Marcello Zambrana/Light Press/Cruzeiro

    Sassá se tornou titular absoluto do Cruzeiro e, mesmo com problemas, segue em alta

    Sassá se tornou titular absoluto do Cruzeiro e, mesmo com problemas, segue em alta

Figura polêmica no mundo do futebol por conta da postura extracampo, Sassá se tornou figura quase incontestável no Cruzeiro. Contratado como substituto de Ramón Ábila, vendido para o Boca Juniors, o centroavante ainda tem números inferiores ao do argentino e, mesmo com o pedido de "profissionalismo" da comissão técnica, goza de mais prestígio que o antecessor.

Os problemas extracampo do ex-jogador do Botafogo são relevados nos bastidores da Toca da Raposa. Recentemente, ele se envolveu em uma confusão com um professor na casa noturna Wood's. O caso acarretou em um boletim de ocorrência contra amigos do jogador, mas não influenciou a sua vida na equipe. Dois dias após o incidente, o centroavante atuou como titular e balançou a rede do Sport. A diretoria não aplicou qualquer tipo de sanção ao atleta.

Apesar do reconhecimento por parte da comissão, Sassá escutou cobranças recentes de Mano Menezes. "[Quero] ainda mais profissionalismo. Firme todo dia, mesmo ritmo, mesma pegada, mesma dedicação. O futebol exige isso de todo mundo, você não pode relaxar nenhum momento. Só é possível permanecer num grande clube jogadores que tenham esse entendimento perfeito. Ele teve um bom início com a gente, quero que continue assim. Então, o que eu espero dele é isso", afirmou.

Acionado no segundo tempo do triunfo por 2 a 0 sobre o Grêmio, pela Primeira Liga, e participando dos dois gols, o centroavante comentou o pedido de Mano Menezes, feito após o empate em 1 a 1 com o Santos, pelo Brasileirão:

"Nem fiquei sabendo também desta entrevista. Mas estou fazendo o meu papel, me dedicando, trabalhando e, devagarzinho, estou buscando o meu espaço aqui no Cruzeiro", disse ao globoesporte. Utilizado em 15 jogos da Raposa na temporada, o atleta de 23 anos balançou as redes adversárias em seis oportunidades. O início de seu antecessor, por outro lado, foi superior. Quando atingiu o mesmo número de partidas, o gringo já havia marcado nove vezes.

Sassá tem uma média de 0,4 gol por compromisso na Toca da Raposa II, enquanto Ábila possuía um aproveitamento de 0,6 bola na rede por confronto disputado. O atual camisa 99 do Cruzeiro, no entanto, goza de mais prestígio com a comissão técnica e, por isso, recebe mais oportunidades.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos