Sem espaço, jogadores da base do Palmeiras recorrem à Europa por chance

José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo (SP)

  • Victor Salgado/FCB

    Vitinho deixou o Palmeiras para atuar no time B do Barcelona, na 2ª divisão espanhola

    Vitinho deixou o Palmeiras para atuar no time B do Barcelona, na 2ª divisão espanhola

Embora possua um projeto definido para usar atletas da base, o Palmeiras precisou mudar os planos em relação ao início do ano. Sem espaço no elenco comandado por Cuca, jovens deixaram o clube em busca de ritmo de jogo profissional no futebol da Europa. Somente nesta janela, cinco saíram da Academia de Futebol.

O caso mais emblemático é o de Vitinho. Tratado como uma das grandes apostas dos últimos anos, o meia entrou em campo apenas oito vezes desde o ano passado, quando foi promovido aos profissionais, e se transferiu por empréstimo para o time B do Barcelona.

Na equipe catalã, Vitinho tem atuado com regularidade – esteve presente como titular nos dois jogos pela Liga Adelante (a segunda divisão da Espanha). O Palmeiras fixou um preço de 15 milhões de euros, caso o Barcelona aprove o desempenho do jovem meia de 19 anos.

Sem o mesmo prestígio de Vitinho, outros quatro nomes também preferiram deixar o país para ganhar experiência entre os profissionais. O atacante Iacovelli, que chegou até a atuar contra a Chapecoense, pelo Campeonato Brasileiro, se transferiu para o Estoril, de Portugal. Na negociação com Iacovelli, o Palmeiras manteve parte dos direitos econômicos para lucrar com uma futura venda. O tipo de negócio se assemelha ao do zagueiro Estigarribia, agora jogador do Alavés, da Espanha – última equipe do centroavante Deyverson na Europa antes de se transferir para a Academia de Futebol.

Ao contrário de Iacovelli, Estigarribia não recebeu chances entre os profissionais. O jogador viajou para a Espanha e já assinou contrato com o clube vice-campeão da última Copa do Rei. A mais recente saída da base ocorreu na última quinta-feira. O meia Emerson Muller, de 19 anos, assinou um contrato de quatro anos com o Lugano, da Suíça. O Palmeiras ficou com 20% dos direitos do jogador, que também possuía perspectiva mínima de figurar entre os profissionais a curto prazo.

Longe do objetivo traçado

Agência Palmeiras
Gabriel Furtado "queimou etapas" e estreou pelo profissional

O Palmeiras trabalha ano a ano para aumentar a presença de jogadores formados no clube entre os profissionais. Para 2017, a diretoria planejava a presença de pelo menos quatro nomes em pelo menos dez partidas na temporada – 45min por jogo, no mínimo. O objetivo está longe de ser cumprido. 

Hoje, o Palmeiras tem quatro jovens da base treinando com frequência no elenco profissional. Os goleiros Daniel Fuzato e Vinicius Silvestre e o zagueiro Thiago Martins convivem diariamente com Cuca e companhia, mas não entraram em campo em uma partida oficial pelo Palmeiras em 2017. O volante Gabriel Furtado, ainda sub-17, já fez a estreia entre os profissionais no Campeonato Brasileiro, mas não teve sequência.  

Do time campeão, apenas mais uma baixa

Divulgação/Fiorentina
Vitor Hugo deixou o Palmeiras para defender a Fiorentina

Se a janela europeia desfalcou a base palmeirense, os profissionais passaram quase ilesos. Nomes como Dudu e Yerry Mina, dois dos mais atraentes para o futebol europeu, permaneceram, assim como Miguel Borja, maior investimento no ano [R$ 35 milhões] e que recebeu propostas de empréstimo com opção de compra de Porto (Portugal) e Levante (Espanha).

Da base titular campeã do ano passado, apenas uma baixa neste meio de temporada – Gabriel Jesus saiu para o Manchester City no mercado de inverno europeu. O zagueiro Vitor Hugo, que perdeu espaço nesta temporada com Edu Dracena e as chegadas de Juninho e principalmente Luan, foi negociado com a Fiorentina (Itália) por R$ 28 mi.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos