Uefa abre investigação contra o PSG por fair play financeiro

Do UOL, em São Paulo

  • AFP PHOTO / ALAIN JOCARD

A Câmara de Investigação do Órgão de Controle Financeiro da Uefa anunciou nesta sexta-feira que abriu uma averiguação sobre o Paris Saint-Germain por causa das recentes contratações. Segundo o site oficial, a entidade irá verificar se as ações seguem a norma do fair play financeiro.

Pelas regras, um clube só pode gastar com futebol na temporada até 5% a mais do que faturar em receitas do futebol. Esse número pode ser ampliado para, no máximo, até 30% além do total de receitas, isso se os donos do clube injetarem os valores correspondentes a esse excedente para tampar o prejuízo.

O PSG tem uma receita anual de cerca de 500 milhões de euros. Pelas regras do fair play, o clube pode gastar na temporada até 5% mais do que isso – algo em torno de 520 a 550 milhões de euros, incluídos entre essas despesas todos os gastos com o time, contratações, salários, luvas, premiações e outros. Com um aporte dos donos, esse número poderia aumentar para cerca de 650 milhões de euros, no máximo.

Durante a janela, o PSG gastou 222 milhões de euros com Neymar e 16 milhões do lateral esquerdo Yuri Berchiche. Além disso, a agremiação da capital da França anunciou a contratação por empréstimo de Kylian Mbappé, mas com valor de compra em 180 milhões de euros. As despesas ainda aumentam quando levados em consideração os salários e premiações dos dois jogadores.

Nos próximos meses, a Uefa avaliará toda a documentação das recentes transações do PSG. 

O PSG divulgou nota se explicando e também se mostrando surpreso com a abertura das investigações

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos