Portugal bate Hungria em jogo duro e mantém caça à Suíça nas Eliminatórias

Do UOL, em São Paulo

A seleção portuguesa não encantou, mas venceu jogo duro com a Hungria por 1 a 0 neste domingo (3). O resultado, conquistado na Arena Budapeste com gol de André Silva, é importantíssimo por impedir que a Suíça abra vantagem na liderança do grupo B das Eliminatórias Europeias — as duas seleções travam disputa particular por uma vaga direta na Copa do Mundo.

A rodada reforça a impressão de que só há um obstáculo separando a seleção portuguesa da vaga direta no Mundial: justamente a Suíça. Se os gajos têm 21 pontos, os suíços têm 24 e 100% de aproveitamento; mantendo a vantagem que é fruto do confronto direto. Ambos polarizam a disputa pela vaga direta, e quem ficar para trás será obrigado a jogar a repescagem.

De qualquer forma Portugal depende apenas de si para se classificar de forma direta: basta vencer os dois jogos restantes, pois o último é justamente contra a Suíça e o saldo de gols português é amplamente maior (23 a 12). A Hungria, por sua vez, está eliminada e só cumpre tabela contra Suíça e Ilhas Faroé.

Clique aqui e confira classificação e jogos das Eliminatórias Europeias

Quem foi bem: Cristiano Ronaldo e André Silva funcionam

A dupla de ataque portuguesa mostrou valor desde o início. No primeiro tempo o camisa 7 cabeceou uma bola para fora, e o 9 deu bom chute para defesa de Gulácsi. Depois, na primeira jogada da etapa final, Cristiano Ronaldo cruzou com desvio na marcação e André Silva se jogou na bola para completar.

Quem foi mal: Húngaro dá cotovelada e é expulso

PHOTO / ATTILA KISBENEDEK

O primeiro terço do jogo se deu com duelos bastante físicos: uma solada aqui, um encontrão acolá. Mas o meio-campista Tamas Priskin partiu para a violência aos 30 minutos, quando deu cotovelada em Pepe durante uma disputa aérea. A agressão cortou o supercílio do português e resultou em expulsão, deixando a Hungria com um a menos.

Pressão de Portugal é reprimida à força

REUTERS/Laszlo Balogh

Não que a Hungria tenha montado um carrossel para refrear os ataques adversários, mas ao menos encontrou na força uma arma para sofrer menos no primeiro tempo. A marcação foi firme na intermediária, mas Portugal mesmo assim insistiu e encontrou caminhos. Foram cinco boas finalizações, e o 0 a 0 no intervalo ficou barato.

Gol logo após o intervalo tranquiliza

AFP PHOTO / ATTILA KISBENEDEK

André Silva abriu o placar logo no início da etapa final, quando empurrou a gol do jeito que deu após cruzamento de Cristiano Ronaldo. O gol tranquilizou Portugal, que não viu mais tanta necessidade de pressionar e passou a valorizar a posse de bola. A Hungria, por sua vez, sentiu a desvantagem numérica e demorou para se reorganizar: só voltou a se aventurar no campo ofensivo para cair na armadilha de Portugal, que se recolheu para o contra-ataque. Verdade seja dita, Portugal tomou um susto nos acréscimos, quando um bate-rebate gerou apreensão mas terminou em defesa segura de Rui Patrício.

Ficha Técnica

Hungria 0 x 1 Portugal

Data: 03 de setembro de 2017
Local: Arena de Budapeste, Budapeste (HUN)
Hora: 15h45 (de Brasília)
Árbitro: Danny Makelie (HOL)
Assistentes: Mario Diks (HOL) e Hessel Steegstra (HOL)
Cartões Amarelos: Patkai, Elek, Dzsudzsak e Fiola (Hungria); Cristiano Ronaldo (Portugal)
Cartão Vermelho: Priskin (Hungria)
Gol: André Silva aos três minutos do segundo tempo

Hungria: Gulácsi; Fiola, Guzmics, Kadar e Korhut; Lovrencsics (Varga), Elek (Pintér), Patkai e Dzsudzsak; Eppel (Böde) e Priskin. Treinador: Bernd Storck.

Portugal: Rui Patrício; Cédric, Pepe, Bruno Alves e Fábio Coentrão (Eliseu); Danilo, João Moutinho, João Mário e Gelson (Bernardo Silva); André Silva e Cristiano Ronaldo. Treinador: Fernando Santos.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos