De amuleto a coringas. Quem são os candidatos a titular no Grêmio

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

  • Ricardo Rímoli/AGIF

    Fernandinho é mais cotado para entrar no time, mas Grêmio tem outras opções

    Fernandinho é mais cotado para entrar no time, mas Grêmio tem outras opções

Sem Pedro Rocha, negociado com o Spartak Moscou, o Grêmio tem uma vaga aberta no time titular. Com os dois gols diante do Sport, Fernandinho ficou mais perto do lugar na equipe. Mas a disputa ainda envolve um 'amuleto' do Tricolor e mais dois jogadores que atuam como coringa no ataque.

A luta pela titularidade vai desembocar no jogo contra o Botafogo, na quarta-feira da semana que vem, pelas quartas de final da Libertadores. Everton, Fernandinho, Michael Arroyo e até Dionathã são as opções atuais.

Lucas Uebel/Gremio FBPA

Everton virou uma espécie de amuleto na reta final do ano passado. A condição nasceu após boas atuações e gols na Copa do Brasil, diante de Palmeiras e Atlético-MG. O estilo de jogo, veloz e agressivo, transformou o camisa 11 em reserva imediato.

Neste ano, Everton apareceu até mais adiantado. Como centroavante. E manteve a escrita de entrar bem no decorrer das partidas. O mesmo desempenho não foi verificado nos jogos onde começou atuando. Ainda assim, tem seis gols no Campeonato Brasileiro e dois na Libertadores.

Lucas Uebel/Grêmio

Fernandinho tem oito gols em 12 jogos no Brasileirão. O status de artilheiro do Grêmio no campeonato é um dos motivos para a iminente titularidade. Além disso, ele é um dos nomes que Renato Gaúcho apostou no início do ano e pode ser definido como 'recuperado'.

O bom desempenho no um contra um, com drible e agilidade, voltou a ser elogiado. Além da evolução nas finalizações e até bola parada – faltas e pênaltis. O jogador também se tornou reserva imediato, entrando na maioria dos jogos do time titular.

Lucas Uebel/Divulgação Grêmio

Michael Arroyo jogou 15 minutos e nada mais, mas o conceito é alto. Ex-América do México, o meia-atacante é um dos últimos reforços do Grêmio no ano e chegou pela característica física. Jogador com força, também agradou pela técnica nas bolas paradas e por atuar no flanco e como referência. Das opções disponíveis atualmente, é a mais distante do time titular.

Recuperado de fratura no nariz, ocorrida na estreia diante do Santos, ele até fez molde para máscara de proteção. Não se adaptou e tem treinado sem o equipamento. Já liberado pelos médicos, depende do ritmo de jogo para fazer a reestreia. Arroyo deve estar na delegação que viaja ao Rio de Janeiro na quinta-feira.

Ricardo Rímoli/AGIF

Dionathã tem 83 minutos no elenco principal do Grêmio e um gol. Um dos jovens na fornada atual do Tricolor junto às categorias de base, ele se destaca pelo vigor e boa finalização de média e longa distância. Na base atuou exatamente no extremo esquerdo do ataque, como Pedro Rocha, e foi ali que ganhou as três chances no time treinado por Renato.

Diante do Vasco, no sábado, o Grêmio deverá dar o indício concreto de quem será o primeiro herdeiro da vaga de Pedro Rocha. A confirmação virá diante do Botafogo, quatro dias depois.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos