Não temos nada a esconder, diz presidente do PSG sobre investigação da Uefa

Do UOL, em São paulo

  • Divulgação/PSG

    Presidente do PSG Nasser Al-Khelaifi ao lado de Mbappé

    Presidente do PSG Nasser Al-Khelaifi ao lado de Mbappé

Sob investigação da Uefa por fair play financeiro, o Paris Saint-Germain está tranquilo. Segundo o presidente da agremiação da capital da França Nasser Al-Khelaifi, o clube não praticou irregularidades nas transferências durante a janela fechada na última semana.

"Não temos nada a esconder. Estamos muito confiantes em nossa posição e em nossas contratações. A Uefa pode fazer o que quiser, mas temos feito tudo de forma transparente. Não precisamos esconder as coisas", falou o mandatário durante a entrevista coletiva de apresentação de Kylian Mbappé.

A Uefa abriu oficialmente investigações a respeito da conduta do PSG na janela de transferências do futebol europeu. Mais especificamente, a entidade apura se o clube francês violou as regras do "fair play" financeiro com as contratações do brasileiro Neymar e do jovem atacante Kylian Mbappé.

Ao desembolsar 222 milhões de euros para pagar a multa rescisória de Neymar com o Barcelona, o PSG viu sua margem de ação como comprador ficar bastante restrita. Por isso, só conseguiu contratar Mbappé na alternativa de um empréstimo por um ano – mas com opção de compra para ser validada na janela de transferência do ano que vem, por 180 milhões de euros.

Qual é a lei que pode gerar punição ao PSG?

Em vigor desde 2011, o "fair play" financeiro é um protocolo da Uefa em que os clubes filiados precisam provar que não têm dívidas em atraso em relação a outros clubes, jogadores, segurança social e autoridades fiscais. A comprovação é obrigatória antes da participação em competições da entidade.

A partir de 2012, os membros da Uefa ainda se comprometeram a respeitar uma variável da lei, em que não se permite gastar mais do que se arrecada. Ou seja, restringindo a acumulação de dívidas. Quando a regra foi criada, o déficit entre gastos e lucros não poderia ultrapassar os 5 milhões de euros. Atualmente, o valor pode chegar a 30 milhões de euros no período de três anos (caso os proprietários dos clubes tenham patrimônio como garantia).

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos