Quedas de Jadson e Rodriguinho viram desafio corintiano de olho em clássico

Dassler Marques

Do UOL, em São Paulo

  • Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

    Rodriguinho e Jadson ganham período de treinos com duas semanas sem jogos

    Rodriguinho e Jadson ganham período de treinos com duas semanas sem jogos

"Jadriguinho". 

Criado por torcedores corintianos nas redes sociais, especialmente entre a reta final do Campeonato Paulista e início do Brasileirão, o termo que une os nomes de Jadson e Rodriguinho resumia aqueles que eram, sobretudo naquele momento, destaques ofensivos da equipe ao lado do centroavante Jô. A regularidade que caracteriza o desempenho do líder da Série A, porém, contrasta com as exibições dos dois jogadores mais criativos do time.

Com duas semanas livres para trabalhar até o clássico de domingo (10) diante do Santos, na Vila Belmiro, o treinador Fábio Carille foca a programação em recuperar a condição física de atletas, reforçar conceitos da equipe e transmitir tranquilidade depois de três jogos seguidos com baixa produção, sendo dois que terminaram em derrota. Dentro desse contexto de restaurar alto nível de desempenho, Jadson e Rodriguinho entram em foco. 

Treinos são essenciais para Jadson buscar o melhor ritmo

Daniel Augusto Jr/Corinthians
Lesão freou crescimento de Jadson no Brasileiro

O camisa 10, por exemplo, atingiu seu melhor momento técnico indiscutivelmente nas finais do Paulistão contra São Paulo e Ponte Preta, confrontos em que participou decisivamente de quase todos os gols marcados pela equipe. Mesmo no início do Brasileiro, quando a equipe empilhou vitórias e se estabeleceu como referência na classificação, Jadson não conseguiu brilhar como em seus melhores momentos.

Em triunfos como contra Vasco (5 a 2), Vitória (1 a 0), São Paulo (3 a 2), todos na primeira parte do Brasileiro, Jadson acumulou algumas atuações discretas, longe do que apresentou em sua melhor temporada (2015) e mesmo nos momentos de maior brilho nesse ano. Nesse período específico das primeiras rodadas da competição, ele chegou a admitir em entrevistas que não estava totalmente satisfeito com o próprio rendimento, mas conseguiu jogos melhores na sequência.

Diante de Ponte Preta e Palmeiras, respectivamente nas rodadas 12 e 13, Jadson deu sinais de evolução. Anotou gols com bola rolando, teve participações convincentes e...fraturou as costelas na semana seguinte, em lance com o zagueiro Betão, na visita ao Avaí. Entre a lesão e o retorno à equipe para atuar 14 minutos, diante do Vitória, foram exatos 30 dias de inatividade marcados por algumas restrições de treinamento, naturais durante parte da recuperação.

O desempenho de Jadson indicou que o retorno ao time, no primeiro momento, não representava uma evolução ainda completa. Com um jogo contra a Chapecoense no meio de semana, Carille optou por manter o meia em São Paulo e oferecer mais treinamentos de olho na partida com o Atlético-GO. Enquanto suportou o ritmo, o camisa 10 mostrou as qualidades que marcam seu jogo. Mas, ao abdicar de um de seus principais atletas aos 22min do segundo tempo, o treinador confirmou que ainda era preciso mais trabalho para ele alcançar 100%. 

Rodriguinho cai de rendimento após ida à seleção

Pedro Martins/ MoWa Press
Desde viagem para Austrália, média de gols de Rodriguinho caiu

Adiantado por Fábio Carille no começo da temporada, Rodriguinho virou o companheiro mais próximo de Jô no setor ofensivo e um homem fundamental nos duelos eliminatórios. Com personalidade e poder de decisão, chegou a estar à frente do centroavante na artilharia da temporada e pavimentou sua primeira chance com Tite em uma convocação para jogadores nacionais e internacionais. 

A viagem de quase duas semanas para dois amistosos na Austrália, onde ele esteve apenas 13 minutos dentro de campo, aparentemente não foi positiva para o desempenho de Rodriguinho. Antes, ele tinha nove gols marcados em 24 jogos. De volta, atuou 15 vezes e marcou dois gols. Antes da viagem, também tinha cinco assistências. Depois, conseguiu somente uma. 

Nesse período de queda de rendimento, em que teve pelo menos duas ofertas recusadas pela diretoria do clube (Besiktas-TUR e Lokomotiv-RUS), houve um ponto fora da curva. A vitória do Corinthians por 3 a 1 contra o Sport foi marcada por uma exibição consistente do meia, que participou de forma mais assertiva na construção de jogo e foi aplaudido de pé por um golaço anotado de fora da área. Recuperar esse padrão é a meta para o meia depois desse período de treinamentos.

Eles ainda estão entre os goleadores do ano. E podem ajudar de várias formas

Mesmo que a comissão técnica tenha se impressionado positivamente com alguns bons jogos de Clayson e Marquinhos Gabriel, as posições de Jadson e Rodriguinho parecem intocáveis no momento. Além da história no clube, ambos campeões brasileiros de 2015, eles também têm os números absolutos da temporada a seu favor. Depois de Jô, com 19 gols marcados, são líderes na artilharia. Jadson fez oito vezes e Rodriguinho anotou 11. 

Não é somente na conclusão das jogadas que o melhor desempenho deles é aguardado por torcida e comissão técnica. Jogadores de construção, são fundamentais para encontrar os passes que abrem defesas rivais e permitem aos companheiros uma finalização mais perigosa. A dificuldade em criar foi o ponto mais sensível dos jogos ruins contra Vitória, Chapecoense e Atlético-GO.  

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos