Bloqueio de contas de cartolas suspeitos de corrupção na Fifa é facilitado

Do UOL, em São Paulo

  • Reuters

    Ricardo Teixeira estaria negociando delação premiada

    Ricardo Teixeira estaria negociando delação premiada

As investigações do escândalo de corrupção da Fifa pelo FBI estão cada vez mais perto dos cartolas brasileiros. O Departamento de Justiça americano pediu cooperação ao Brasil e o Superior Tribunal de Justiça decidiu que não há necessidade de a corte autorizar a solicitação. Com isso, fica mais fácil a quebra de sigilo bancário e o bloqueio de dinheiro de cartolas e outras pessoas envolvidas no escândalo.

A investigação começou em 2015 e apura o pagamento de suborno para dirigentes por empresas que desejavam os direitos de transmissão de TV de competições. O trabalhou levou José Maria Marin, ex-presidente da CBF, a cadeia e hoje ele cumpre prisão domiciliar em Nova Iorque. Entre os suspeitos estão Marco Polo Del Nero, atual presidente da CBF, Ricardo Teixeira, ex-presidente da entidade.

Homem que comandou o futebol brasileiro por mais de uma década, Ricardo Teixeira estaria negociando um acordo de delação premiada com a Justiça americana, revelou a Revista Veja. Os pedidos de quebra de sigilo bancário e bloqueio de contas foram feitos à Justiça Federal no Rio de Janeiro, que analisa a solicitação.

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos