Como Guardiola pode reviver carreira de Danilo como seu "faz-tudo" no City

Dassler Marques e Leandro Miranda

Do UOL, em São Paulo

  • Josep Lago/AFP

    Lateral direito, ala esquerdo e zagueiro: Danilo já mostrou sua versatilidade

    Lateral direito, ala esquerdo e zagueiro: Danilo já mostrou sua versatilidade

Quando Danilo trocou o Real Madrid pelo Manchester City, no meio do ano, a escolha foi centrada no objetivo de jogar mais vezes que na última temporada, para reacender uma carreira que perdeu fôlego nas duas temporadas passadas na Espanha. Para isso, o ex-jogador do Santos já mostrou que sua principal arma será um dos atributos mais valorizados pelo técnico Pep Guardiola: a versatilidade.

Contratado em alta pelo Real em 2015, após ótimas temporadas na lateral direita do Porto, Danilo sofreu com a concorrência de Carvajal e foi relegado à reserva em Madri. Algumas oportunidades, porém, apareceram na lateral esquerda, quando Marcelo estava indisponível por lesão. E foi em um desses jogos, um empate por 2 a 2 com o Borussia Dortmund, na Liga dos Campeões, que Guardiola vislumbrou que o brasileiro poderia ser um "faz-tudo" em seu City.

Até agora, em quatro partidas oficiais no novo time, Danilo já foi utilizado em três funções diferentes. Jogou como ala esquerdo na estreia do Campeonato Inglês, contra o Brighton; nas duas partidas seguintes, com a expulsão do titular Walker, foi lateral direito contra Everton e Bournemouth; e no último sábado, na goleada por 5 a 0 sobre o Liverpool, jogou como zagueiro pela direita em um 3-5-2.

Nos moldes de Guardiola

REUTERS/Dylan Martinez
Elenco curto e estilo de Guardiola favorecem Danilo

A situação de Danilo é favorecida pelo estilo de gestão de elenco adotado por Guardiola. O técnico espanhol prefere trabalhar com grupos enxutos, com pouco mais de 20 jogadores, para manter todos os atletas ativos e motivados ao longo da temporada. Para isso, é essencial ter peças versáteis, que joguem em duas, três ou até mais posições.

É o caso do brasileiro. Lateral direito de origem, ele tem facilidade também para atuar pelo lado esquerdo e sabe usar o pé canhoto - foi com ele, por exemplo, que marcou um dos gols do Santos na final da Libertadores de 2011, contra o Peñarol. Na época, inclusive, Danilo jogava como volante no time paulista, o que pode se transformar em mais uma opção para Pep.

Já a função de zagueiro exercida contra o Liverpool é nova para Danilo, mas combina com as características do sistema de jogo do City. O time inglês joga com a linha defensiva adiantada, o que exige velocidade de recuperação dos zagueiros, e também coloca muita ênfase na qualidade técnica para a construção do jogo pelo chão desde trás.

É importante lembrar que o City tem apenas dois laterais de ofício além de Danilo - Walker, que joga só pela direita, e Mendy, exclusivamente pelo setor esquerdo. Somando isso à possibilidade de atuar como zagueiro quando Guardiola adotar um sistema com três defensores, a temporada está talhada para que o brasileiro, mesmo sem ser titular absoluto, supere os 25 jogos do último ano pelo Real Madrid. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos