MP-RJ pede afastamento imediato de Eurico do Vasco por elo com organizada

Pedro Ivo Almeida

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Bruno Braz

    Eurico Miranda, presidente do Vasco, em entrevista coletiva

    Eurico Miranda, presidente do Vasco, em entrevista coletiva

O Ministério Público do Rio de Janeiro pediu que Eurico Miranda seja afastado da presidência do Vasco da Gama. A informação foi dada pela Rede Globo e confirmada pelo UOL Esporte. O dirigente é acusado de acobertar torcidas organizadas após atos violentos em estádios de futebol.

Reprodução/MPRJ

Além da destituição definitiva de Eurico, a ação pede também a saída dos vice-presidentes do Vasco, da diretoria e o pagamento de multa de R$ 500. O UOL Esporte teve acesso ao processo, no qual os promotores acreditam que o clube descumpre artigos do Estatuto do Torcedor referentes à prevenção da violência nos estádios.

O Ministério Público baseou-se em relatórios da Polícia Militar elaborados após confusão após clássico contra o Flamengo, disputado em São Januário dia 8 de julho. Também foram utilizados como fontes matérias jornalísticas sobre a partida e a súmula publicada pelo árbitro.

O órgão acredita que a insegurança no estádio é alimentada pelo apoio que o clube dá à sua principal torcida organizada, que atualmente está punida por casos de violência.

A confusão do clássico em questão aconteceu após a derrota por 1 a 0 para o Flamengo, quando torcedores do Vasco atiraram objetos em jogadores do rival e na Polícia e tentaram invadir o campo. A confusão continuou do lado de fora do estádio e terminou com a morte de David Rocha Lopes, que foi baleado no peito.

Nesta quinta-feira (14), Eurico Miranda lança candidatura para sua reeleição no Vasco da Gama.

RELAÇÃO COM AS ORGANIZADAS

No relatório do processo, o Ministério Público usa fotos postadas em redes sociais como provas da ligação entre o Vasco e sua maior torcida organizada. O primeiro membro registrado pelo órgão é Sidnei da Silva Andrade, o "Tindô", flagrado trabalhando para o clube.

Reprodução/MPRJ

"Sidnei da Silva Andrade, vulgo 'Tindô', trabalhando como steward no Estádio de São Januário, usando colete refletivo e crachá do Clube Vasco da Gama, no dia 27/05/2017, jogo entre as Equipes do Vasco da Gama x Fluminense, pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro, Série A", diz relatório do processo do Ministério Público.

"Sidnei da Silva Andrade, vulgo 'Tindô' trabalhando como segurança no Estádio de São Januário, PORTÃO 09, principal entrada das Torcidas Organizadas do Vasco da Gama, usando colete refletivo, no dia 25.06.2017, jogo entre as Equipes do Vasco da Gama x Atletico-GO, pela décima rodada do Campeonato Brasileiro, Série A", completa.

"Sidnei da Silva Andrade, vulgo "Tindô", com a camiseta e boné da Torcida Organizada Força Jovem em sua atual Sede, com David Paiva Mendes, RG 21.889.494-4, matricula na Força Jovem Nº000466, vulgo "DVD", líder da 1ª Família da Força Jovem do Vasco", finaliza, ao falar sobre o torcedor.

Reprodução/MPRJ

Depois, é Rodrigo Granja, o "Batata", quem é flagrado em ações pelo Vasco.

Reprodução/MPRJ

"Rodrigo Granja, 14/05/2017, na inauguração da nova sede da Torcida Força Jovem do Vasco, localizada na Rua do Bonfim 305, São Cristovão, Rio de Janieiro – RJ", relata o MPRJ.

"Rodrigo Granja, 27/05/2017, na arquibancada de São Januário, almoçando com funcionários no restaurante do Clube, usando a mesma camisa que os funcionários, partida entre Vasco x Fluminense", completa.

O Ministério Público ainda utiliza imagens da inauguração de um camarote da Força Jovem em São Januário, justamente no jogo contra o Flamengo e de uma reunião de Eurico com a organizada.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos