Após reclamação de viagem, Santos terá 5 jogos em SP para recuperar elenco

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

  • Daniel Vorley/AGIF

    Em 1 mês, serão três jogos na Vila, um na capital paulista e outro no interior

    Em 1 mês, serão três jogos na Vila, um na capital paulista e outro no interior

Após polêmica envolvendo o atacante Ricardo Oliveira, que reclamou da viagem de 16 horas para Guayaquil, no Equador, o Santos terá um descanso em relação as longas viagens. Serão cinco jogos no estado de São Paulo, período em que o departamento de futebol aproveitará para descansar e recuperar alguns jogadores do elenco. 

Os jogos "caseiros" começam nesta quarta-feira, na Vila Belmiro, onde o Santos enfrenta o Barcelona, do Equador, pelo jogo de volta das quartas de final da Copa Libertadores da América. Em seguida, a equipe santista encara quatro jogos pelo Campeonato Brasileiro: Atlético-PR (23), na Vila, Palmeiras (30), Allianz Parque, Ponte Preta (12), em Campinas, e Vitória (16), também na Vila.

Em meio a maratona de jogos em São Paulo, o Santos ainda conta com o descanso causado pelos jogos da seleção brasileira nas duas últimas rodadas das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018, contra Bolívia e Chile, nos dias 5 e 10 de outubro, respectivamente.

O fim dos jogos no Estado termina no dia 19 de outubro, quando o Santos encara o Sport, em Recife. Resumindo, os atletas ficarão 1 mês sem longas viagens.

Com isso, os jogadores lesionados e outros em fase final de recuperação de lesões podem se recuperar neste período. Lucas Lima sofreu edema muscular na coxa direita e é dúvida para o duelo contra o Barcelona, nesta quarta-feira. Renato sofreu entorse no tornozelo e o resultado dos exames será divulgado nesta segunda-feira.

O período também servirá para a melhor recuperação de Vecchio, que ficou de fora dos gramados por quase dois meses devido uma grave lesão na coxa direita. Copete ainda se recupera de uma mialgia na coxa, enquanto Matheus Jesus e Caju fazem trabalhos de condicionamento físico.

Viagem longa gera polêmica

O Santos evitou qualquer tipo de confronto com o atacante Ricardo Oliveira após o desabafo do atleta sobre uma possível logística errada da diretoria para o jogo contra o Barcelona em Guayaquil, no Equador, mas acredita que fez a melhor escolha para evitar desgaste físico no elenco. A primeira iniciativa foi pedir para que a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) antecipasse o clássico contra o Corinthians para o sábado, dia 9. A entidade máxima do futebol brasileiro negou o pedido alegando que a TV Globo, detentora dos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro, não aceitou.

"Cada um tem sua opinião. A logística pra ir até lá é muito ruim, a viagem é desgastante mesmo. Estudamos muito e não tinha como fazer melhor. A única coisa que poderia ter sido melhorada era mudar o jogo de domingo para o sábado. Fizemos essa solicitação mas a empresa detentora dos direitos de transmissão não aceitou", afirmou Modesto Roma Júnior, presidente do Santos.

Os profissionais do clube analisaram na internet que grande parte da torcida ficou ao lado da diretoria em relação ao desabafo de Ricardo Oliveira. A diretoria santista alegou internamente que o clube gastaria mais de R$ 700 mil para fretar um avião e ganharia apenas 2 horas de vantagem na viagem. Por conta disso, o Santos descartou o voo fretado, conforme apurou o UOL Esporte. Vale lembrar que o Barcelona realiza o mesmo itinerário da delegação santista para encarar o Santos na quarta-feira. Eles também dividiram a delegação em dois grupos e fazem escala em Bogotá, na Colômbia.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos